background image
Resultados do 2T12 1

Vendas de aço aumentam e atingem o maior
patamar desde o terceiro trimestre de 2008
No 2T12, os principais destaques foram:
A produção de aço bruto alcançou 1,8 milhão de toneladas, sendo 10% superior ao 1T12;
As vendas de produtos siderúrgicos foram 25% superiores ao 1T12, atingindo 1,9 milhão
de toneladas;
A receita líquida consolidada foi de R$3,2 bilhões, sendo 12% superior ao 1T12;
A posição de caixa em 30/06/12 era de R$4,8 bilhões, estável comparado ao 1T12;
Os investimentos totalizaram R$355,2 milhões.






PARA DIVULGAÇÃO IMEDIATA - Belo Horizonte, 30 de julho de 2012. A Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais S.A. - Usiminas
(BM&FBOVESPA: USIM3, USIM5 e USIM6; OTC: USDMY e USNZY; Latibex: XUSIO e XUSI) divulga hoje os resultados do segundo
trimestre do exercício de 2012 (2T12). As informações operacionais e financeiras da Companhia, exceto quando indicado de outra
forma, são apresentadas com base em números consolidados e em reais, em conformidade com o IFRS (International Financial
Reporting Standards). As comparações realizadas neste comunicado levam em consideração o primeiro trimestre de 2012, exceto
quando especificado em contrário.
Índice
BM&FBOVESPA: USIM5 R$6,32/ação
USIM3 R$7,72/ação
EUA/OTC: USNZY US$3,24/ADR
Latibex: XUSI 2,44/ação
XUSIO 3,03/ação
Dados de Mercado - 29/06/12
· Resultados Consolidados
· Desempenho das Unidades de Negócios:
- Siderurgia
- Mineração
- Siderurgia
- Transformação do Aço
- Bens de Capital
· Mercado de Capitais
· Balanço, DRE e Fluxo de Caixa
3T11
R$ milhões
2T12
1T12
2T11
Var.
2T12/1T12
1S12
1S11
Var.
1S12/1S11
Produção aço bruto (mil t.)
1.845
1.672
1.858
10%
3.517
3.641
-3%
Vendas físicas de aço (mil t.)
1.888
1.512
1.583
25%
3.401
3.170
7%
Receita Líquida
3.225
2.886
3.026
12%
6.111
6.089
0%
CPV
(3.067)
(2.713)
(2.606)
13%
(5.780)
(5.370)
8%
Lucro (Prejuízo) Bruto
158
173
420
-9%
332
719
-54%
Lucro (Prejuízo) Líquido
(87)
(37)
157
135%
(123)
173
-
EBITDA
232
190
365
22%
422
702
-40%
Margem EBITDA
7,2%
6,6%
12,1%
+ 0,6 p.p.
6,9%
11,5%
-4,6 p.p.
Investimentos (Capex)
355
561
481
-37%
916
1.155
-21%
Caixa
4.844
4.834
5.630
0%
4.844
5.630
-14%
Destaques Consolidados
background image
Resultados do 2T12 2
Foco Usiminas
A Usiminas vem implementando medidas que visam a melhoria da sua performance operacional,
a redução do seu endividamento e a manutenção de um adequado nível de liquidez. Dentre elas
destacam-se o aumento no nível de utilização da capacidade instalada nas usinas, com melhor
absorção dos custos fixos; a redução das despesas estruturais (vendas e administrativas); a
redução do capital de giro, notadamente dos estoques de produtos em processo, acabados e de
almoxarifado; e a redução dos investimentos em capex.
Conjuntura Econômica
A fase de recuperação da economia mundial, que se esperava que ocorresse ao longo de 2012,
não está se concretizando. Neste primeiro semestre, a Europa esteve no epicentro das incertezas
e lá deverá permanecer por conta da grave combinação de recessão, elevado endividamento e
rumores de crise bancária em importantes países da região. Isso tem repercutido na demanda
global e reduzindo exportações para a região. Já os EUA, no 1T12, cresceram a uma taxa
anualizada de 1,9%, porém abaixo do crescimento de 3% verificado no 4T11. Na China, os
reflexos do enfraquecimento da demanda, principalmente, dos países europeus, têm levado a
uma acomodação da atividade industrial. No 1T12 a economia expandiu-se a uma taxa de 8,1%,
ritmo mais baixo desde meados de 2009, ainda durante a fase mais aguda da crise.
No Brasil, ainda que as condições de emprego e renda estejam preservadas, o ambiente de
negócios se deteriorou e fez recuar as expectativas de crescimento do PIB de 3,3% no início do
ano para abaixo de 2,0% recentemente. O ambiente externo desfavorável, a elevação do
comprometimento da renda das famílias com o pagamento de dívidas, a alta da inadimplência e
a concorrência com produtos importados, são algumas questões estruturais que mantêm a
indústria nacional sufocada pelas pressões de custos e explicam o fraco desempenho da indústria
de transformação brasileira.
As reduções da taxa Selic e os esforços do governo ao longo deste trimestre para estimular a
indústria, ainda não surtiram o efeito de estimular a demanda e os negócios da siderurgia. A
expectativa é de que tais efeitos efetivem-se ao longo do segundo semestre de 2012. Já o
câmbio parece se sustentar em patamares próximos de R$2,00/US$, incluindo as medidas
adotadas pelo Banco Central, como um estimulo adicional a indústria.
background image
Resultados do 2T12 3
Desempenho Econômico e Financeiro
Comentários dos Resultados Consolidados

Receita Líquida
A receita líquida do 2T12 alcançou R$3,2 bilhões, um aumento de 11,7% em relação ao 1T12,
que havia atingido R$2,9 bilhões, principalmente em função do maior volume de vendas na
siderurgia, com um aumento nos preços em reais no mercado externo, devido à apreciação do
dólar, e preços estáveis no mercado interno.
Custos dos Produtos Vendidos (CPV)
No 2T12, o CPV consolidado totalizou R$3,1 bilhões, apresentando um aumento de 13,1%,
quando comparado ao 1T12, devido ao maior volume vendido de aço, à apreciação do dólar e
ao aumento em mão de obra, decorrente do Acordo Coletivo realizado em maio na planta de
Cubatão. A margem bruta de 4,9% no 2T12 apresentou redução de 1,1 ponto percentual em
relação ao 1T12, apresentando o seguinte desempenho:




Despesas e Receitas Operacionais
No 2T12, foram apuradas Despesas com Vendas (S) de R$97,5 contra R$78,6 milhões no 1T12,
um aumento de 24,0% principalmente em função de um maior volume de vendas na exportação.
As Despesas Gerais e Administrativas (G&A) ficaram praticamente estáveis, sendo R$112,6
milhões no 2T12 e R$110,7 milhões no 1T12.
Na linha de Outras Despesas e Receitas Operacionais, o 2T12 registrou uma receita de R$51,0
milhões, enquanto o 1T12 registrou uma despesa de R$20,0 milhões, efeito positivo
principalmente devido à desoneração das exportações de produtos industrializados pelo
Programa Reintegra (informações adicionais na página 12 ­ "Conceitos"), no montante de
R$34,7 milhões, contabilizado neste trimestre referente ao efeito do primeiro semestre de 2012.
Assim, as Despesas Operacionais totais registraram o montante de R$159,1 milhões contra
R$209,4 milhões no 1T12, uma redução de 24,0%. Dessa forma, a margem operacional da
Companhia apresentou o seguinte desempenho:


EBITDA
O EBITDA, composto pelo lucro operacional antes de despesas e receitas financeiras de R$0,8
milhão negativo, voltando com depreciação e amortização de R$233,0 milhões totalizou
2T12
1T12
2T11
1S12
1S11
4,9%
6,0%
13,9%
5,4%
11,8%
Margem Bruta
2T12
1T12
2T11
1S12
1S11
0,0%
-1,2%
7,4%
-0,7%
6,3%
Margem Operacional
2T12
1T12
2T11
1S12
1S11
Mercado Interno
75%
88%
87%
81%
85%
Mercado Externo
25%
12%
13%
19%
15%
Total
100%
100%
100%
100%
100%
Distribuição da Receita Líquida
background image
Resultados do 2T12 4
R$232,2 milhões no 2T12, sendo 22,3% superior ao 1T12. A margem de EBITDA apresentou
aumento de 0,6 ponto percentual, decorrente principalmente do aumento da receita líquida e
da queda das Despesas Operacionais totais. As margens estão indicadas abaixo:



Resultado Financeiro
No 2T12, o resultado financeiro totalizou R$255,7 milhões negativos, contra um resultado
negativo de R$22,8 milhões apurados no 1T12. Este resultado pode ser atribuído,
principalmente, à valorização do dólar frente ao real de 10,9% no 2T12.

Participação nos Resultados de Subsidiárias
O resultado da participação nos resultados de subsidiárias foi de R$13,4 milhões no 2T12, estável
quando comparado ao 1T12, sendo a MRS Logística quem mais contribui para este resultado.
Lucro (Prejuízo) Líquido
O resultado do 2T12 foi um prejuízo de R$86,5 milhões, comparado ao prejuízo de R$36,8
milhões registrados no 1T12, decorrente principalmente do impacto contábil não caixa causado
pela desvalorização do real como perdas cambiais.
Capital de Giro
A Usiminas avançou com o plano de redução de capital de giro e neste trimestre reduziu em
R$480 milhões, através da redução de estoques de produtos em processo, acabados e de
almoxarifado, redução do prazo médio de contas a receber e alongamento dos prazos de contas
a pagar. Nos primeiros 6 meses de 2012, a companhia obteve uma redução de capital de giro de
R$938 milhões.
Investimentos
(Capex)
Os investimentos no imobilizado somaram R$355,2 milhões no 2T12. Do total dos investimentos
em 2012, aproximadamente 41% foram aplicados na siderurgia, 47% na mineração, 3% na
transformação do aço e 9% em bens de capital.


2T12
1T12
2T11
1S12
1S11
7,2%
6,6%
12,1%
6,9%
11,5%
Margem de EBITDA
R$ mil
2T12
1T12
2T11
Var.
2T12/1T12
1S12
1S11
Var.
1S12/1S11
Efeitos Cambiais
(199.576)
(2.561)
71.152
7693%
(202.137)
128.945
-
Valor de Mercado das Operações de Swap
(7.159)
42.128
3.514
-
34.969
1.367
2458%
Efeitos Monetários
(15.632)
(29.009)
(16.911)
-46%
(44.641)
(17.125)
161%
Receitas Financeiras
71.438
76.862
78.957
-7%
148.300
143.382
3%
Despesas Financeiras
(104.731)
(110.255)
(91.097)
-5%
(214.986)
(167.481)
28%
RESULTADO FINANCEIRO
(255.660) (22.835)
45.615
1020%
(278.495)
89.088
-
Resultado Financeiro - Consolidado
background image
Resultados do 2T12 5
Endividamento
O endividamento total consolidado atingiu R$9,0 bilhões em 30/06/2012, contra R$8,8 bilhões
em 31/03/2012. A dívida líquida no encerramento de junho de 2012 era de R$4,2 bilhões. Para
efeito de cálculo de covenants, este indicador variou de 3,75 vezes a 3,90 vezes de acordo
com o critério utilizado por cada credor. A Usiminas obteve os respectivos waivers de seus
credores para os covenants não cumpridos em 30/06/2012.
Em 30/06/2012, a composição da dívida por prazo de vencimento era de 21,5% no curto prazo
e 78,5% no longo prazo. A composição por moeda representava 51,2% em moeda nacional e
48,8% em moeda estrangeira.
Desempenho das Unidades de Negócios
As transações entre as Companhias são apuradas em preços e condições de mercado.









31-mar-12
Curto Prazo
Longo Prazo
TOTAL
TOTAL
Moeda Nacional
1.019.148
3.601.865
4.621.013
51%
4.704.504
-2%
TJLP
216.462
816.668
1.033.130
-
1.095.657
-6%
CDI
670.654
2.511.469
3.182.123
-
3.232.266
-2%
Outras
132.032
273.728
405.760
-
376.581
8%
Moeda Estrangeira (*)
920.709
3.484.740
4.405.449
49%
4.071.041
8%
ENDIVIDAMENTO TOTAL
1.939.857
7.086.605
9.026.462
100%
8.775.545
3%
CAIXA e APLICAÇÕES
-
-
4.843.544
-
4.834.085
0%
ENDIVIDAMENTO LÍQUIDO
-
-
4.182.918
-
3.941.460
6%
(*) 99% do total de moedas estrangeiras é US dólar
Empréstimos e Financiamentos por Indexador - Consolidado
R$ mil
30-jun-12
%
Var.
Jun12/Mar12
Mineração
Siderurgia
Transformação do
Aço
Bens de Capital
Mineração Usiminas*
Usina de Ipatinga
Soluções Usiminas*
Usiminas Mecânica*
Usina de Cubatão
Automotiva Usiminas*
Unigal *
* Controlada da Companhia
** Resultados contabilizados via Equivalência Patrimonial em Coligadas e Controladas
Usiminas Consolidado
Participação na Metform
e Codeme**
2.501
288
864
922
905
735
416
302
33
155
2.343
227
1.048
628
486
723
267
1.023
2
2
Caixa
2012
2013
2014
2015
2016
2017
2018
2019
a partir de
2020
Moeda Local
Moeda Estrangeira
1.912
4.844
515
1.550
1.458
683
1.325
35
Duração da Dívida: R$: 40 meses
US$: 44 meses
157
1.391
Perfil da Dívida
background image
Resultados do 2T12 6

I)
M I N E R A Ç Ã O

Mineração Usiminas (MUSA)
A Mineração Usiminas está localizada na região de Serra Azul (MG) e detém ativos minerários com
reservas potencialmente lavráveis estimadas em 2,5 bilhões de toneladas, além de uma retro área
de 850 mil metros quadrados junto ao terminal portuário na região de Itaguaí (RJ). A MUSA e a
Usiminas detêm ainda participação na MRS Logística, com 20% do capital votante e participam do
seu grupo de controle. O capital social da Mineração Usiminas é composto por 70% da Usiminas e
30% da Sumitomo Corporation.
R$ milhões
2T12
1T12
2T12
1T12
2T12
1T12
2T12
1T12
2T12
1T12
2T12
1T12
Receita Líquida de
Vendas
213
239
3.097
2.573
533
497
205
251
(821)
(674)
3.225
2.886
Mercado Interno
143
217
2.348
2.234
522
491
203
251
(811)
(654)
2.405
2.539
Mercado Externo
70
22
749
339
11
6
2
0
(10)
(20)
820
347
Custo Produtos
Vendidos
(73)
(100)
(3.057) (2.574)
(495)
(447)
(225)
(258)
783
666
(3.067) (2.713)
Lucro Bruto
140
139
39
0
37
49
(19)
(7)
(39)
(8)
158
173
(Despesas)/Receitas
Operacionais
(49)
(36)
(43)
(100)
(50)
(51)
(17)
(23)
0
1
(159)
(209)
Lucro (Prejuízo)
Operacional antes das
Despesas Financeiras
91
103
(4)
(100)
(13)
(2)
(36)
(30)
(39)
(7)
(1)
(36)
EBITDA
100
111
201
100
0
11
(29)
(25)
(40)
(7)
232
190
MARGEM EBITDA
47%
46%
6%
4%
0%
2%
-14%
-10%
-
-
7%
7%
Transformação
do Aço
Bens de Capital
Mineração
Demonstração de Resultado por Unidades de Negócios - Pro forma não auditado
Consolidado
Ajustes
Siderurgia
R$ milhões
1S12
1S11
1S12
1S11
1S12
1S11
1S12
1S11
1S12
1S11
1S12
1S11
Receita Líquida de
Vendas
452
479
5.670
5.485
1.029
1.102
456
681
1.497
(1.658)
6.111
6.089
Mercado Interno
361
390
4.582
4.701
1.012
1.079
454
681
(1.465)
(1.657)
4.944
5.194
Mercado Externo
91
89
1.088
784
17
23
2
0
(30)
0
1.168
896
Custo Produtos
Vendidos
(173)
(123)
(5.631) (5.312)
(943)
(993)
(483)
(604)
1.450
1.662
(5.780)
(5.370)
Lucro Bruto
279
357
39
173
87
109
(27)
77
(46)
3
332
719
(Despesas) / Receitas
Operacionais
(85)
(52)
(143)
(131)
(101)
(105)
(40)
(51)
1
3
(368)
(336)
Lucro (Prejuízo)
Operacional antes das
Despesas Financeiras
195
305
(104)
42
(15)
4
(66)
26
(47)
6
(37)
383
EBITDA
211
319
301
306
11
35
(54)
39
(47)
3
422
702
MARGEM EBITDA
47%
67%
5%
6%
1%
3%
-12%
6%
-
-
7%
12%
Mineração
Siderurgia
Transformação
do Aço
Bens de Capital
Consolidado
Ajustes
Demonstração de Resultado por Unidades de Negócios - Pro forma não auditado
background image
Resultados do 2T12 7
Comentário dos Resultados da Unidade de Negócio ­ Mineração
A receita líquida do segmento de Mineração registrada no 2T12 foi de R$213,0 milhões,
apresentando uma redução de 11,0% quando comparada ao 1T12. Embora o preço médio por
tonelada tenha sido superior em 2,8%, resultado do maior volume de exportação e da valorização
do dólar, o volume total de vendas foi 13,4% inferior, devido à menor demanda de minério de
ferro no mercado interno.
No 2T12, o custo dos produtos vendidos (CPV) totalizou R$72,8 milhões, 27,4% inferior ao 1T12,
em função do menor volume de vendas de 234 mil toneladas.
O lucro bruto alcançou R$140,2 milhões no 2T12 contra R$139,0 milhões no 1T12. A margem
bruta foi de 65,8% no 2T12 contra 58,1% no 1T12, principalmente devido à queda no CPV por
tonelada.
As despesas operacionais apresentaram um aumento de 37,9% em relação ao 1T12,
principalmente devido aos maiores custos de distribuição e serviços portuários associados ao
volume exportado.
No 2T12, o EBITDA apurado foi de R$100,1 milhões, 9,6% inferior ao 1T12, gerando uma margem
de EBITDA praticamente estável de 47,0%.

Desempenho Operacional e de Vendas
O volume de produção no 2T12 foi de 1,5 milhão de toneladas, inferior em 18,1% na comparação
com o 1T12. O volume de vendas neste mesmo período foi inferior ao 1T12 em 13,4%,
principalmente decorrente da menor demanda no mercado interno. Destaca-se, porém, o volume
de exportação, que aumentou em 134,0% no 2T12.
Os volumes de produção e vendas estão demonstrados no quadro abaixo:

Investimentos
No 2T12, os investimentos somaram R$165,9 milhões, destinados à aquisição de terrenos,
melhorias nas plantas existentes e na construção das novas plantas, em linha com a primeira
fase do projeto Friáveis de crescimento da capacidade de produção, que levará as minas para 12
milhões de toneladas.

Logística ­ Participação na MRS
A Mineração Usiminas detém participação na MRS através de sua subsidiária UPL ­ Usiminas
Participações e Logística S.A.
A MRS Logística é uma concessionária que controla, opera e monitora a Malha Sudeste da Rede
Ferroviária Federal. A empresa atua no mercado de transporte ferroviário, interligando os
Estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo, e seu foco de atividades consiste em
logística integrada no transporte de cargas, tais como minério de ferro, produtos siderúrgicos
acabados, cimento, bauxita, produtos agrícolas, coque verde de petróleo e contêineres, entre
outros.
Mil toneladas
2T12
1T12
2T11
Var.
2T12/1T12
1S12
1S11
Var.
1S12/1S11
Produção
1.517
1.854 1.554
-18%
3.371
3.090
9%
Vendas - Mercado Interno
60
322
19
-81%
382
73
423%
Vendas - Mercado Externo
365
156
301
134%
521
461
13%
Vendas para a Usiminas
1.072
1.252 1.172
-14%
2.324
2.208
5%
Total = Vendas
1.497
1.730 1.492
-13%
3.227
2.742
18%
Minério de Ferro
background image
Resultados do 2T12 8
No 2T12, a MRS transportou 39,6 milhões de toneladas, apresentando um aumento de 9,8% no
volume total em relação ao trimestre anterior. Este aumento está associado, em boa parte, ao
efeito sazonal das chuvas, que prejudicaram fortemente a operação, no primeiro bimestre do
ano.
II)
S I D E R U R G I A

Siderurgia Mundial e Brasileira
Segundo a World Steel Association (WSA), a média mensal de 127 milhões de toneladas
de oferta global de aço, se elevou em 0,8% nos primeiros 5 meses do ano na comparação
com o mesmo período de 2011. Entre os países mais representativos em termos da
produção no período, está a China, responsável por 47% da produção mundial,
produzindo 296 milhões de toneladas no período, um aumento de cerca de 2%, enquanto
os Estados Unidos aumentaram sua produção em 9% e a Rússia em 4%. Já o consumo
mundial segue uma trajetória de crescimento que deverá elevar em cerca de 3% em
2012, mas não compensando o excedente de oferta de aço no mundo.
O mercado brasileiro de aços planos consumiu 3,5 milhões de toneladas no 2T12, sendo
88% do volume fornecido pelas usinas locais e 12% por importações. Em relação ao
1T12, o consumo manteve-se praticamente estável, entretanto, demonstra um recuo de
2% na comparação com igual período de 2011. Os estoques na distribuição, cujo giro
estava em 2,7 meses (com base nas vendas médias do segundo trimestre), encontram-se
próximos a níveis normalizados. O ajuste de estoques de bens acabados na indústria,
ainda que lento, também tende a gerar novo impulso de compras de produtos
siderúrgicos nos próximos meses.
Entre os segmentos consumidores de aço, o industrial mostra crescimento de
aproximadamente 14% na comparação com o 1T12, com destaque para equipamentos
industriais. O segmento automobilístico avançou 13% na comparação com o 1T12. Já os
setores de grande rede, construção civil e de linha branca apresentaram recuo quando
comparados ao 1T12, apesar do desempenho positivo do setor de utilidades domésticas.

Produção - Usinas de Ipatinga e Cubatão
No 2T12, a produção de aço bruto nas usinas de Ipatinga e Cubatão foi de 1,8 milhão de
toneladas, apresentando um aumento de 10,3% em relação ao 1T12. A produção de
laminados foi de 1,8 milhão de toneladas, 13,3% acima da produção verificada no 1T12.

Vendas
As vendas físicas totais no 2T12 alcançaram 1,9 milhão de toneladas, representando um
aumento de 24,9% em relação ao 1T12, decorrente do aumento de vendas tanto no mercado
interno quanto no mercado externo, respectivamente 6,5% e 110,9%. Este foi o maior volume
de vendas desde o 3T08. Do total de vendas, 70,3% foram destinadas ao mercado interno e
29,7% ao mercado externo.
Mil toneladas
2T12
1T12
2T11
Var.
2T12/1T12
1S12
1S11
Var.
1S12/1S11
Usina de Ipatinga
969
934
966
4%
1.903
1.873
2%
Usina de Cubatão
876
738
892
19%
1.614
1.768
-9%
Total
1.845
1.672
1.858
10%
3.517
3.641
-3%
Produção (Aço Bruto)
background image
Resultados do 2T12 9









O gráfico abaixo apresenta os principais destinos das exportações:
17%
15%
14%
12%
9%
8%
6%
6%
13%
Exportação - Principais Mercados ­2T12
Índia
México
Tailândia
Venezuela
EUA
Colômbia
Argentina
Itália
Outros
18%
17%
15%
10%
9%
9%
6%
4%
14%
Exportação - Principais Mercados ­ 1S12
EUA
México
Índia
Argentina
Tailândia
Venezuela
Colômbia
Taiwan
Outros
85%
83%
85%
82%
70%
15%
17%
15%
18%
30%
2T11
3T11
4T11
1T12
2T12
Vendas Consolidadas (mil t)
Mercado Interno
Mercado Externo
1.340
1.583
1.406
1.512
1.888
Mil toneladas
Var.
2T12/1T12
VENDAS FÍSICAS TOTAIS
1.888
100%
1.512
100%
1.583
100%
25%
3.401
100%
3.170
100%
Chapas Grossas
395
21%
367
26% 409
26%
8%
762
22%
820
26%
Laminados a Quente
545
29%
461
30% 469
30%
18%
1.006
30%
945
30%
Laminados a Frio
407
22%
313
27% 430
27%
30%
720
21%
869
27%
Eletrogalvanizados
41
2% 35
4%
57
4%
17%
76
2%
107
3%
Galvaniz. Imersão a Quente
175
9%
143
8% 119
8%
22%
318
9%
248
8%
Produtos Processados
33
2% 44
2%
34
2%
-25%
77
2%
70
2%
Placas
292
8%
149
3%
65
4%
96%
442
13%
111
4%
MERC. INTERNO
1.327
70%
1.246
83%
1.343
85%
7%
2.573
76%
2.572
81%
Chapas Grossas
300
16%
295
21% 327
21%
2%
595
17%
592
19%
Laminados a Quente
450
24%
429
26% 440
28%
5%
879
26%
868
27%
Laminados a Frio
322
17%
292
21% 359
23%
10%
614
18%
675
21%
Eletrogalvanizados
34
2% 31
3%
49
3%
10%
65
2%
96
3%
Galvaniz. Imersão a Quente
155
8%
128
8% 107
7%
21%
283
8%
224
7%
Produtos Processados
32
2% 41
2%
27
2%
-22%
73
2%
55
2%
Placas
34
2% 30
2%
34
2%
13%
64
2%
62
2%
MERC. EXTERNO
561
30%
266
17%
240
15%
111%
828
24%
598
19%
Chapas Grossas
95
5% 72
5%
82
5%
32%
167
5%
228
7%
Laminados a Quente
95
5% 32
1%
29
2%
197%
127
4%
77
2%
Laminados a Frio
85
5% 21
1%
71
4%
305%
106
3%
194
6%
Eletrogalvanizados
7
0%
4
0%
8
1%
75%
11
0%
11
0%
Galvaniz. Imersão a Quente
20
1% 15
1%
12
1%
33%
35
1%
24
1%
Produtos Processados
1
0%
3
0%
7
0%
-67%
4
0%
15
0%
Placas
258
14%
119
9%
31
2%
117%
378
11%
49
5%
Distribuição de Vendas por Produto - Consolidado
46%
-73%
671%
38%
-27%
65%
-45%
0%
-9%
-32%
26%
33%
3%
10%
298%
0%
1%
1%
2T11
1T12
2T12
1S12
1S11
Var.
1S12/1S11
7%
-7%
6%
-17%
-29%
28%
background image
Resultados do 2T12 10
Comentário dos Resultados da Unidade de Negócio - Siderurgia
A Siderurgia obteve no 2T12 uma receita líquida de R$3,1 bilhões, 20,3% superior à receita do
1T12, principalmente em função do maior volume de vendas, com um aumento nos preços em
reais no mercado externo, devido à apreciação do dólar, e preços estáveis no mercado interno.
Neste trimestre, houve aumento de 110,9% no volume das exportações, demonstrando o
objetivo de crescimento do volume de vendas e diluição do custo fixo, bem como dando
continuidade ao plano de redução de capital de giro.
No 2T12, o CPV foi de R$3,1 bilhões, 18,8% superior ao 1T12, principalmente decorrente do
maior volume vendido. O CPV por tonelada vendida de aço apresentou redução de 4,8%,
resultado da queda dos preços de carvão e da venda de produtos produzidos no 1T12.
As despesas operacionais foram de R$43,2 milhões no 2T12, contra uma despesa no 1T12 de
R$99,8 milhões, 56,7% inferior devido, principalmente, ao impacto positivo de R$34,7 milhões,
oriundos da desoneração das exportações de produtos industrializados pelo Programa Reintegra,
contabilizado neste trimestre na linha de outras receitas operacionais, referente ao acumulado
no ano de 2012.
O EBITDA alcançou no trimestre R$201,0 milhões, sendo 101,4% superior ao apurado no 1T12,
devido, principalmente, ao aumento da receita líquida e da queda das despesas operacionais. A
margem de EBITDA no 2T12 foi de 6,5%, também superior quando comparada a margem de
3,9% registrada no 1T12.

Investimentos
Os investimentos no imobilizado no 2T12 somaram R$145,2 milhões. Destacam-se:
O início dos testes da nova linha de tiras a quente em Cubatão aconteceu em 29 de
fevereiro deste ano e está previsto para operação comercial a partir do 3T12. Com
investimentos da ordem de R$2,6 bilhões, a nova linha tem capacidade de laminação
de 2,3 milhões de toneladas por ano e possibilitará a Usiminas a fornecer laminados a
quente de alto valor agregado para nichos de mercado mais nobres.
O inicio das operações da decapagem III está previsto para o quarto trimestre de 2013.
Objetiva-se atender a crescente demanda de mercado por produtos decapados, para
produção de rodas leves, peças automotivas, aços galvanizados para a construção civil,
entre outros.
A reforma em curso da Coqueria II em Ipatinga permitirá reduzir o custo de produção de
coque, além de proporcionar melhor desempenho ambiental.
III)
T
R A N S F O R M A Ç Ã O D O A Ç O
Soluções Usiminas (SU)
A Soluções Usiminas atua nos mercados de distribuição, serviços e tubos de pequeno diâmetro
em todo o país, oferecendo a seus clientes produtos de alto valor agregado. A Empresa tem
capacidade de processar mais de 2 milhões de toneladas de aço por ano em suas 11 unidades
industriais, estrategicamente distribuídas nos estados do Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas
Gerais, Espírito Santo, Bahia e Pernambuco, atendendo a diversos setores econômicos, tais
como Automobilístico, Autopeças, Construção Civil, Distribuição, Eletroeletrônico, Máquinas e
Equipamentos, Utilidades Domésticas.
As vendas das unidades de negócios distribuição, serviços/JIT e tubos de pequeno diâmetro
foram responsáveis por respectivos 51,5%, 37,9% e 10,6% do volume vendido.
Segundo previsão do INDA, o 2T12 deverá registrar aumento nas vendas de 1,7% em relação
ao 1T12. Destaque para o mês de maio que, segundo publicação do INDA, registrou vendas de
background image
Resultados do 2T12 11
408,3 mil toneladas, superiores em 18,4% quando comparado ao volume registrado em abril.
Os estoques, em geral, recuaram 1,6%, chegando a 1,0 milhão de toneladas.
A receita líquida no 2T12 totalizou R$442,6 milhões, montante 5,7% superior ao 1T12. Este
melhor desempenho é decorrente do aumento no volume de vendas em 11,2%, no trimestre.
Automotiva Usiminas
A Automotiva Usiminas é a única empresa do setor de autopeças no Brasil a produzir peças e
cabines pintadas em sua cor definitiva, atuando no desenvolvimento da matéria-prima ao
produto final, passando pelos processos de estamparia, solda, pintura e montagem.
Os investimentos em melhorias no processo produtivo continuam em andamento conforme o
plano de desenvolvimento da empresa. Tais investimentos visam à adequação e manutenção
tecnológica do parque fabril.
A receita líquida foi de R$72,8 milhões no 2T12, 25,8% acima da registrada no 1T12, devido ao
aumento no volume de vendas, principalmente para o setor automotivo.

Comentário dos Resultados da Unidade de Negócio - Transformação do Aço
A receita líquida do 2T12 totalizou R$532,7 milhões, 7,2% superior ao 1T12, principalmente
devido ao maior volume de vendas, oriundo, em grande parte, da maior demanda do setor
automotivo. As despesas operacionais mantiveram-se estáveis em relação ao 1T12. O EBITDA
foi negativo em R$0,4 milhão enquanto, no 1T12, foi de R$11,5 milhões positivo, o que se
justifica principalmente pelo menor preço médio de vendas e ajustes no valor dos estoques de
produtos acabados na Soluções Usiminas. A margem de EBITDA no 2T12 foi de 0,1% negativa,
enquanto no 1T12 foi de 2,3%.
IV)
B E N S DE C A P I T A L
Usiminas Mecânica S.A.
A Usiminas Mecânica figura entre as maiores empresas de bens de capital, de montagem
industrial e de serviços do Brasil, com presença destacada nas seguintes áreas de negócios:
Estruturas Metálicas, Pontes e Blanks; Equipamentos Industriais; Montagens Industriais;
Fundição e Vagões Ferroviários.
Destaques
No 2T12, o principal contrato assinado foi referente ao fornecimento de 30 mil toneladas de
blanks (chapas beneficiadas) para torres eólicas da Gestamp Wind Steel.
Investimentos
As obras visando ao aumento da capacidade de produção de vagões para 3 mil unidades por
ano têm previsão de término para o início do segundo semestre de 2012.
Comentário dos Resultados da Unidade de Negócio - Bens de Capital
A receita líquida apurada no 2T12 foi de R$205,4 milhões, inferior em 18,1% quando
comparada ao 1T12, principalmente em decorrência da redução da carteira de projetos. O
prejuízo bruto foi de R$19,4 milhões no trimestre, R$12,1 milhões superior ao 1T12. O EBITDA
do 2T12 totalizou R$29,5 milhões negativos, inferior em R$4,6 milhões ao alcançado no 1T12.
A margem de EBITDA do 2T12 foi de 14,3% negativa.
background image
Resultados do 2T12 12
Mercado de Capitais
Desempenho na BM&FBOVESPA
A ação ordinária (USIM3) da Usiminas encerrou o 2T12 cotada a R$7,72 e a ação preferencial
(USIM5) a R$6,32. A USIM3 se desvalorizou 61,0% e a USIM5 47,4% neste trimestre. No
mesmo período, o Ibovespa registrou uma desvalorização de 15,7%.

Bolsas Estrangeiras
OTC ­ Nova York
A Usiminas tem American Depositary Receipts (ADRs) negociados no mercado de balcão
americano (denominado OTC - over-the-counter): o USDMY, com lastro nas ações ordinárias, e
o USNZY, com lastro em ações preferenciais classe A. Em 29/06/2012, o ADR USNZY, de
maior liquidez, estava cotado a US$3,24 e apresentou uma desvalorização no trimestre de
51,6%.
Latibex ­ Madri
A Usiminas tem ações negociadas na LATIBEX ­ Bolsa de Madrid: ação preferencial XUSI e
ação ordinária XUSIO. Em 29/06/2012, a ação XUSI encerrou cotada a 2,44, apresentando
desvalorização de 50,9% e a ação XUSIO encerrou cotada a 3,03, com uma desvalorização
no trimestre de 63,9%.

Conceitos
Programa Reintegra
O Programa Reintegra ­ Regime Especial de Reintegração de Valores Tributários para
Empresas Exportadoras ­ possibilita ao exportador a restituição de 3% sobre a sua receita de
exportação, instituído pela Lei número 12.546/2011, regulamentado pelo Decreto número
7.633/2011:
Forma de utilização: compensação com qualquer tributo federal (PIS, COFINS, IPI, IR,
CSLL, etc);
Prazo de vigência: 12/2011 a 12/2012, eventual prorrogação dependerá da conjuntura
macroeconômica.
2T12
1T12
Var.
2T12/1T12
2T11
Var.
2T12/2T11
Número de Negócios
653.450
549.926
19%
437.494
49%
Média Diária
10.540
8.870
19%
7.056
49%
Quantidade Negociada - mil ações
433.495
349.441
24%
328.053
32%
Média Diária
7.028
5.636
25%
5.291
33%
Volume Financeiro - R$ milhões
3.878
4.186
-7%
5.148
-25%
Média Diária
63
68
-7%
83
-24%
Cotação Máxima
12,52
13,77
-9%
20,05
-38%
Cotação Mínima
6,02
10,08
-40%
12,85
-53%
Cotação Unitária Final
6,32
12,01
-47%
13,70
-54%
Valor de Mercado - R$ milhões
6.407
12.176
-47%
13.889
-54%
Resumo do Desempenho da Usiminas na BM&FBOVESPA (USIM5)
background image
Resultados do 2T12 13
Para mais informações:
Visite o site de Relações com Investidores:
www.usiminas.com/ri
ou acesse pelo seu celular: m.usiminas.com/ri










Cristina Morgan C. Drumond
cristina.drumond@usiminas.com
31-3499-8772
Leonardo Karam Rosa
leonardo.rosa@usiminas.com
31-3499-8550
Diogo Dias Gonçalves
diogo.goncalves@usiminas.com
31-3499-8710
Luciana Valadares dos Santos
luciana.santos@usiminas.com
31-3499-8619
GERÊNCIA GERAL DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES
Horário em Brasília: às 10:30h
Telefone para conexão:
Brasil: (11) 4688.6361
Senha de acesso ao replay: 2080717 português
2T12 - Teleconferência de Resultados - Data 31/07/2012
Horário em Nova Iorque: às 9:30
Telefone para conexão:
Veja apresentação de slides no website: www.usiminas.com/ri
EUA: (1 888) 700.0802
Demais países: (1 786) 924.6977
O áudio da teleconferência será transmitido ao vivo pela internet
Audio replay disponível pelo telefone (11) 4688.6312
Senha de acesso ao replay: 5823251 inglês
Em Português - Tradução Simultânea para Inglês
Declarações contidas neste comunicado relativas às perspectivas dos negócios, projeções de resultados operacionais e financeiros
e referências ao potencial de crescimento da Companhia constituem meras previsões, baseadas nas expectativas da Administração
em relação ao seu desempenho futuro. Essas expectativas são altamente dependentes do comportamento do mercado, da situação
econômica do Brasil, da indústria e dos mercados internacionais, portanto sujeitas a mudanças.
background image
Resultados do 2T12 14

30/jun/12
31/mar/12
5.452.214
5.015.480
Empréstimos e Financiamentos e Tributos Parcelados
1.939.857
1.874.771
Fornecedores, Empreiteiros e Fretes
2.297.765
1.925.696
Salários e encargos sociais
317.590
297.758
Tributos e impostos a recolher
167.326
194.429
Valores a Pagar a Sociedades Ligadas
95.227
74.738
Instrumentos Financeiros
38.187
46.263
Dividendos a Pagar
954
69.273
Adiantamento de clientes
245.582
224.108
Outros
349.726
308.444
9.276.047
9.020.615
Empréstimos e Financiamentos e Tributos Parcelados
6.859.998
6.672.596
Passivo Atuarial
1.234.180
1.235.521
Contingências
236.397
217.609
Instrumentos Financeiros
497.385
402.775
Provisão para Recuperação Ambiental
82.897
95.397
Outros
365.190
396.717
18.788.214
19.002.809
Capital Social
12.150.000
12.150.000
Reservas e Lucro Acumulados
4.858.553
5.088.362
Participação dos Acionistas não Controladores
1.779.661
1.764.447
33.516.475
33.038.904
Balanço Patrimonial - Passivo - Consolidado | IFRS - R$ mil
Patrimônio Líquido
Total do Passivo
Passivo
Circulante
Exigível a Longo Prazo
Ativo
30/jun/12
31/mar/12
Circulante
11.925.042
11.965.921
Disponibilidades
4.843.544
4.834.085
Contas a Receber
1.567.895
1.315.983
Impostos a Recuperar
669.481
597.934
Estoques
4.536.628
4.866.032
Adiantamento de fornecedores
38.353
67.104
Instrumentos financeiros
40.809
36.604
Outros Títulos e Valores a Receber
228.332
248.179
Realizável a Longo Prazo
2.244.971
1.901.568
Impostos Diferidos
1.106.669
846.995
Depósitos Judiciais
504.828
492.571
Valores a Receber de Empresas Ligadas
13.796
5.624
Impostos a Recuperar
155.206
171.012
Instrumentos Financeiros
413.970
331.450
Outros
50.502
53.916
Permanente
19.346.462
19.171.415
Investimentos
431.110
439.030
Imobilizado
16.472.506
16.288.495
Intangível
2.442.846
2.443.890
Total do Ativo
33.516.475
33.038.904
Balanço Patrimonial - Ativo - Consolidado | IFRS - R$ mil
background image
Resultados do 2T12 15
R$ mil
1S12
1S11
Var.
1S12/1S11
Receita Líquida de Vendas
6.111.499
6.089.135
0%
Mercado Interno
4.943.760
5.193.573
-5%
Mercado Externo
1.167.739
895.562
30%
Custo dos Produtos Vendidos
(5.779.825)
(5.370.364)
8%
Lucro Bruto
331.674
718.771
-54%
Margem Bruta
5,4%
11,8%
- 6,4 p.p.
(Despesas) Receitas Operacionais
(368.473)
(335.826)
10%
Vendas
(176.111)
(206.382)
-15%
Gerais e Administrativas
(223.360)
(261.523)
-15%
Outras (Despesas) Receitas
30.998
132.079
-77%
Reintegra
34.681
0
-
Superávit (déficit) atuarial
42.078
43.441
-3%
Contigências Judiciais
(7.834)
132.454
-
Outras (despesas) receitas líquidas
(37.927)
(43.816)
-13%
Lucro Operacional antes das Desp.Fin.
(36.799)
382.945
-
Margem Operacional
-0,7%
6,3%
- 7,0 p.p.
(Despesas) Receitas Financeiras
(278.495)
89.088
-
Receitas Financeiras
388.822
68.511
468%
Despesas Financeiras
(667.317)
20.577
-
Resultado de Equivalência Patrimonial em Coligadas e Controladas
26.486
31.697
-16%
Lucro (Prejuízo) Operacional
(288.808)
503.730
-
Imposto de Renda / Contribuição Social
165.496 (206.191)
-
Lucro (Prejuízo) Líquido do Exercício das Operações Continuadas
(123.312)
297.539
-
Lucro (Prejuízo) Líquido das Operações Descontinuadas
0 (124.919)
-
Lucro (Prejuízo) Líquido do Exercício
(123.312)
172.620
-
Margem Líquida
-2,2%
2,8%
- 5,0 p.p.
Atribuível:
Aos acionistas da companhia
(172.561)
85.542
-
Participação dos não controladores
49.249
87.078
-43%
EBITDA
422.029
702.266
-40%
Margem EBITDA
6,9%
11,5%
- 4,6 p.p.
Depreciação e amortização
458.828
428.400
7%
Ajustes
0 (109.079)
-
Demonstração do Resultado Acumulado - Consolidado | IFRS
R$ mil
2T12
1T12
2T11
Var.
2T12/1T12
Receita Líquida de Vendas
3.225.265 2.886.234 3.025.659
12%
Mercado Interno
2.404.772 2.538.988 2.625.022
-5%
Mercado Externo
820.493 347.246 400.637
136%
Custo dos Produtos Vendidos
(3.066.955)
(2.712.870)
(2.605.607)
13%
Lucro Bruto
158.310 173.364 420.052
-9%
Margem Bruta
4,9%
6,0%
13,9%
- 1,1 p.p.
(Despesas) Receitas Operacionais
(159.082) (209.391) (198.338)
-24%
Vendas
(97.497) (78.614) (95.242)
24%
Gerais e Administrativas
(112.611) (110.749) (135.635)
2%
Outras (Despesas) Receitas
51.026 (20.028)
32.539
-
Reintegra
34.681
0
0
-
Superávit (déficit) atuarial
21.038
21.040
21.721
0%
Contigências Judiciais
11.491 (19.325)
53.768
-
Outras (despesas) receitas líquidas
(16.184) (21.743) (42.950)
-26%
Lucro Operacional antes das Desp.Fin.
(772) (36.027)
221.714
-
Margem Operacional
0,0%
-1,2%
7,4%
+ 1,2 p.p.
(Despesas) Receitas Financeiras
(255.660) (22.835)
45.615
1020%
Receitas Financeiras
370.340
18.482 (7.282)
1904%
Despesas Financeiras
(626.000) (41.317)
52.897
1415%
Resultado de Equivalência Patrimonial em Coligadas e Controladas
13.350
13.136
13.721
2%
Lucro (Prejuízo) Operacional
(243.082) (45.726)
281.050
432%
Imposto de Renda / Contribuição Social
156.570
8.926 (124.451)
1654%
Lucro (Prejuízo) Líquido do Exercício das Operações Continuadas
(86.512) (36.800)
156.599
135%
Lucro (Prejuízo) Líquido das Operações Descontinuadas
0
0
0
-
Lucro (Prejuízo) Líquido do Exercício
(86.512) (36.800)
156.599
135%
Margem Líquida
-2,6%
-1,2%
5,3%
- 1,4 p.p.
Atribuível:
Aos acionistas da companhia
(101.726) (70.835)
111.632
44%
Participação dos não controladores
15.214 34.035 44.967
-55%
EBITDA
232.193 189.836 365.260
22%
Margem EBITDA
7,2%
6,6%
12,1%
+ 0,6 p.p.
Depreciação e amortização
232.965 225.863 215.160
3%
Ajustes
0
0
(71.614)
-
Demonstração do Resultado Trimestral - Consolidado | IFRS
background image
Resultados do 2T12 16
R$ mil
2T12
1T12
Fluxos de Caixa das Atividades Operacionais
Lucro Líquido do Exercício
(86.512)
(36.800)
Encargos e Var. Monetárias/Cambiais líquidas
438.287
(53.565)
Despesas de Juros
38.460
111.750
Depreciação e Amortização
232.965
225.863
Resultado na venda de imobilizado
850
(165)
Participações nos resultados de subsidiárias
(13.350)
(13.136)
Imposto de Renda e Contribuição Social diferidos
(206.011)
(54.825)
Constituição (reversão) de Provisões
(8.842)
4.244
Ganhos e perdas atuariais
(21.038)
(21.040)
Plano de Outorga de opção de ações
(6)
1.649
Total
374.803
163.975
(Acréscimo)/Decréscimo de Ativos
Títulos e Valores Imobiliários
(273.947)
492.075
Contas a Receber de Clientes
(251.912)
(61.548)
Estoques
329.404
192.844
Impostos a Recuperar
(83.435)
155.403
Depósitos Judiciais
(15.226)
(14.940)
Valores a Receber de Empresas Ligadas
(8.172)
86
Outros
78.581
(29.609)
Total
(224.707)
734.311
Acréscimo/(Decréscimo) de Passivos
Fornecedores, Empreiteiros e Fretes
372.069
463.323
Valores a Pagar a Sociedades Ligadas
20.489
(24.827)
Adiantamentos de Clientes
21.474
21.130
Tributos a Recolher
(36.775)
22.219
Passivo Atuarial pago
(42.346)
(40.138)
Outros
115.260
(53.099)
Total
450.171
388.608
Caixa Proveniente das atividades Operacionais
600.267 1.286.894
Juros Pagos
(184.442)
(97.293)
Imposto de Renda e Contribuição Social
(12.076)
(167.504)
Caixa Líquido Proveniente das Atividades Operacionais
403.749 1.022.097
Fluxos de caixa das Atividades de Investimentos
Valor pago pela aquisição de subsidiárias
(49.662)
(42.490)
Compras de imobilizado
(353.652)
(561.106)
Valor recebido pela venda de imobilizado
108
683
Compras de ativos intangíveis
(13.998)
(12.190)
Dividendos Recebidos
946
7.175
Caixa Líquido Aplicado nas Atividades de Investimentos
(416.258) (607.928)
Fluxos de Caixa das Atividades de Financiamentos
Ingressos de Emprést., Financiam. e Debêntures
7.050
364.810
Pagamentos de Emprést., Financ. e Debênt.
(156.517)
(628.099)
Pagamentos de tributos parcelados
(8.910)
(9.392)
Liquidação de Operações de Swap
(11.857)
(2.191)
Dividendos e Juros sobre Capital Próprio
(94.046)
(16)
Caixa Líquido Proveniente das (Aplicado nas) Atividades de Financiamentos
(264.280) (274.888)
Variação cambial sobre caixa e equivalentes de caixa
12.301 (3.816)
Aumento (redução) Líquido de Caixa e Equivalentes de Caixa
(264.488) 135.465
Caixa e Equivalentes de Caixa no Início do Exercício
3.036.777
2.901.312
Caixa e Equivalentes de Caixa no Final do Exercício
2.772.289
3.036.777
CONCILIAÇÃO COM A LINHA DE DISPONIBILIDADES NO BALANÇO
Saldo inicial Caixa
3.036.777
2.901.312
Saldo inicial de Títulos e valores mobiliários
1.797.308
2.289.383
Disponibilidades no início do exercício
4.834.085
5.190.695
Aumento (redução) líquido de caixa e equivalentes de caixa
(264.488)
135.465
Aumento (redução) líquido de títulos
273.947
(492.075)
Saldo final Caixa
2.772.289
3.036.777
Saldo final de Títulos
2.071.255
1.797.308
Disponibilidades no final do exercício
4.843.544
4.834.085
Fluxo de Caixa - Consolidado | IFRS
background image
Resultados do 2T12 17
R$ mil
1S12
1S11
Fluxos de Caixa das Atividades Operacionais
Lucro Líquido do Exercício
(123.312)
172.620
Encargos e Var. Monetárias/Cambiais líquidas
384.722
(216.681)
Despesas de Juros
150.210
249.766
Depreciação e Amortização
458.828
428.400
Resultado na venda de imobilizado
685
(18.355)
Participações nos resultados de subsidiárias
(26.486)
(31.697)
Resultado na alienação das operações descontinuadas
0
124.919
Imposto de Renda e Contribuição Social diferidos
(260.836)
18.420
Constituição (reversão) de Provisões
(4.598)
(3.306)
Ganhos e perdas atuariais
(42.078)
(43.439)
Plano de Outorga de opção de ações
1.643
0
Total
538.778
680.647
(Acréscimo)/Decréscimo de Ativos
Títulos e Valores Imobiliários
218.128
(1.591.410)
Contas a Receber de Clientes
(313.460)
114.618
Estoques
522.248
(344.925)
Impostos a Recuperar
71.968
(158.373)
Depósitos Judiciais
(30.166)
(31.651)
Valores a Receber de Empresas Ligadas
(8.086)
126
Outros
48.972
(46.921)
Total
509.604
(2.058.536)
Acréscimo/(Decréscimo) de Passivos
Fornecedores, Empreiteiros e Fretes
835.392
519.796
Valores a Pagar a Sociedades Ligadas
(4.338)
(25.464)
Adiantamentos de Clientes
42.604
99.460
Tributos a Recolher
(14.556)
10.200
Passivo Atuarial pago
(82.484)
(77.844)
Outros
62.161
101.098
Total
838.779
627.246
Caixa Proveniente das atividades Operacionais
1.887.161 (750.643)
Juros Pagos
(281.735)
(250.295)
Imposto de Renda e Contribuição Social
(179.580)
(126.057)
Caixa Líquido Proveniente das Atividades Operacionais
1.425.846 (1.126.995)
Fluxos de caixa das Atividades de Investimentos
Valor recebido pela alienação de investimentos
0
1.656.740
Valor pago pela aquisição de subsidiárias
(92.152)
(63)
Compras de imobilizado
(914.758)
(1.154.988)
Valor recebido pela venda de imobilizado
791
1.259
Compras de ativos intangíveis
(26.188)
(2.379)
Dividendos Recebidos
8.121
12.320
Caixa Líquido Aplicado nas Atividades de Investimentos
(1.024.186) 512.889
Fluxos de Caixa das Atividades de Financiamentos
Ingressos de Emprést., Financiam. e Debêntures
371.860
909.001
Pagamentos de Emprést., Financ. e Debênt.
(784.616)
(412.017)
Pagamentos de tributos parcelados
(18.302)
(14.808)
Liquidação de Operações de Swap
(14.048)
(19.626)
Dividendos e Juros sobre Capital Próprio
(94.062)
(341.010)
Caixa Líquido Proveniente das (Aplicado nas) Atividades de Financiamentos
(539.168) 121.540
Variação cambial sobre caixa e equivalentes de caixa
8.485 (12.868)
Aumento (redução) Líquido de Caixa e Equivalentes de Caixa
(129.023) (505.434)
Caixa e Equivalentes de Caixa no Início do Exercício
2.901.312
4.145.779
Caixa e Equivalentes de Caixa no Final do Exercício
2.772.289
3.640.345
CONCILIAÇÃO COM A LINHA DE DISPONIBILIDADES NO BALANÇO
Saldo inicial Caixa
2.901.312
4.145.779
Saldo inicial de Títulos e valores mobiliários
2.289.383
397.787
Disponibilidades no início do exercício
5.190.695
4.543.566
Aumento (redução) líquido de caixa e equivalentes de caixa
(129.023)
(505.434)
Aumento (redução) líquido de títulos
(218.128)
1.591.410
Saldo final Caixa
2.772.289
3.640.345
Saldo final de Títulos
2.071.255
1.989.197
Disponibilidades no final do exercício
4.843.544
5.629.542
Fluxo de Caixa - Consolidado | IFRS