background image














































Belo Horizonte, 09 de maio de 2006 ­ A
Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais S/A -
USIMINAS (BOVESPA: USIM3, USIM5,
USIM6; OTC: USNZY; Latibex: XUSI)
divulga hoje os resultados do primeiro
trimestre do exercício de 2006 (1T06). As
informações operacionais e financeiras da
Companhia, exceto onde estiver indicado
de outra forma, são apresentadas com
base em números consolidados e em
reais, conforme a legislação societária.
Todas as comparações realizadas neste
comunicado levam em consideração o
mesmo período de 2005 (1T05), exceto
quando especificado em contrário.

EBITDA é de R$ 908 milhões e lucro líquido de R$ 345
milhões no 1T06.
Demanda e preços ascendentes nos mercados
doméstico e internacional projetam perspectivas
positivas para o ano.
"Ao experimentar um excelente ano de 2004 e um 2005 de resultados não menos
expressivos, chegamos ao início deste exercício com os mercados ainda
buscando seu ponto de equilíbrio entre a oferta e demanda nos estoques e nos
preços. Mesmo diante dos constantes desafios, os resultados deste primeiro
trimestre de 2006 produziram uma geração operacional de caixa medida pelo
EBITDA de R$ 908 milhões e um lucro líquido de R$ 345 milhões. Seguimos
confiantes no nosso planejamento. Com renovado vigor, observamos a retomada
do crescimento do mercado interno já no primeiro trimestre, com expansão
significativa dos principais setores, cujos números apontam para o início de uma
reversão de tendência, após a queda contínua ao longo dos quatro trimestres do
ano passado. No cenário externo, nosso otimismo é reforçado ao observarmos
também uma demanda ascendente nos principais blocos de comércio
internacional, confirmando a expectativa da continuidade do crescimento das
economias e nas transações entre os países, o que nos permite afirmar que as
perspectivas para o ano são bastante positivas. Seguimos firmes na consecução
do plano de investimentos, que consolidará ainda mais nossa posição de
liderança no mercado doméstico e, como sempre afirmamos, continuamos
atentos às oportunidades que se nos apresentam, objetivando o contínuo
fortalecimento do Sistema Usiminas."
declaração de Rinaldo Campos Soares ­
Diretor Presidente.
1T06
TECNOLOGIA AVANÇADA PARA
FABRICAR AÇO E BENEFICIAR VIDAS
31/3/2006
Cotações - Fechamento
USIM3
R$ 83,87 / ação
USIM5
R$ 80,25 / ação
USNZY US$ 37,00
(1 ADR = 1 ação)
XUSI 29,93
Valor de Mercado - Bovespa
R$ 18,1 bilhões
US$ 8,3 bilhões
RELAÇÕES COM INVESTIDORES
Bruno Seno Fusaro
Superintendente de Relações com
Investidores
Tel: (55 31) 3499-8710
brunofusaro@usiminas.com.br


www.usiminas.com.br




FIRB
Financial Investor Relations Brasil
Lígia Montagnani ­ Consultora
Tel: (55 11) 3897-6405
ligia.montagnani@firb.com
R$ milhões
1T 2006
1T 2005
4T 2005
Var.
1T06/1T05
Vendas Físicas (mil t.)
1.954
1.768
1.981
11%
Receita Líquida
2.958
3.470
2.969
-15%
Lucro Bruto
888
1.739
912
-49%
Lucro Operacional (EBIT) a
741
1.569
743
-53%
Resultado Financeiro
(118)
(161)
(162)
-26%
Lucro Líquido
345
1.001
1.325
-66%
EBITDA b
908
1.730
910
-48%
EBITDA (R$/t)
465
979
459
-53%
Ativos Totais
17.817
17.510
18.195
2%
Endividamento Líquido
1.497
2.591
2.012
-42%
Patrimônio Líquido
9.097
6.951
8.753
31%
(a) Antes do resultado financeiro e participações.
(b) Resultado operacional antes dos juros, impostos, depreciações, amortizações e participações.
Destaques Consolidados
background image
Release 1T06
2/26
Sistema Usiminas no 1T06
· Produção: 2,1 milhões de toneladas de aço bruto
· Vendas: 1,9 milhão de toneladas de produtos, sendo 62% no Mercado Interno e 38% no Mercado Externo
· Receita Operacional Bruta de R$ 3,9 bilhões, sendo:
. R$ 3,0 bilhões no Mercado Interno (77%)
. R$ 0,9 bilhão no Mercado Externo (23 %)
· Receita Líquida: R$ 3,0 bilhões
· Lucro Bruto: R$ 888 milhões
· Lucro Líquido: R$ 345 milhões
· EBITDA: R$ 908 milhões
· Margem EBITDA: 31%
· Redução da Dívida: US$ 165 milhões
· Patrimônio Líquido: R$ 9,1 bilhões
· Saldo de Caixa: R$ 1,9 bilhão
· Valor de Mercado da Companhia ­ 31/03/06: R$ 18,1 bilhões (US$ 8,3 bilhões)
Destaques
Usinas operam em ritmo normal.
Qualidade dos produtos da Usiminas é reconhecida pela GM, Fiat e Honda.
Usiminas é lider do mercado nacional com um "Market Share" de 51%.
Plano de Investimentos segue cronograma estabelecido.
Demanda internacional mostra-se ascendente.
Demanda interna apresenta evolução no 1T06 e indica reversão de tendência.
Esperada melhoria nos preços dos produtos siderúrgicos a partir do 2º trimestre.
As ações da Usiminas apresentaram expressiva valorização no trimestre em todas as Bolsas.
background image
Release 1T06
3/26
Perspectivas
Cenário Internacional
A demanda mostra-se ascendente nos principais blocos de comércio internacional, confirmando a expectativa de
continuidade do crescimento da economia e comércio dos principais países.
Após os ajustes de estoques esperados e verificados no início do quarto trimestre de 2005, a expectativa era de uma
reversão da curva declinante dos preços internacionais e a retomada gradual da sua ascensão em busca de estabilidade
ao longo de 2006.
Essa expectativa foi confirmada, principalmente nos EUA, apesar do receio de que pudesse haver um movimento forte
nas importações que comprometesse a recuperação de preços, sobretudo em função da diferença existente entre
aqueles praticados no mercado americano e os da China, que se encontravam bem abaixo. Apesar da alta das
importações em relação a igual período de 2005 (porém em menor ritmo do que as expectativas), os níveis de preços
não foram afetados e as usinas obtiveram, inclusive, aumentos para o primeiro e segundo trimestres, devido ao forte
ritmo da economia.
A União Européia, também mostrou recuperação, quer por ajustes de estoques, quer por crescimento econômico,
embora menos intenso do que os verificados nas regiões do Nafta e Ásia. Todavia, a recomposição de preços está em
pleno curso, com o mercado pagando mais pelos importados, assim como as usinas locais conseguindo colocar
aumentos.
Na Ásia, e notadamente na China, as tendências de mercado naquele país carecem de maior precisão. Recentemente,
assistimos a dois picos de aumento das importações em decorrência dos estoques baixos e da demanda alta, seguidos de
duas quedas por excessivos estoques especulativos e rápida redução de preços. Após haver terminado o ano de 2005 em
queda e encerradas as festividades do ano novo chinês, o mercado se mostra novamente ativo, com crescimento
econômico acima das metas governamentais, estoques de produtos siderúrgicos baixos e preços que começam
novamente a disparar, estimulando uma vez mais os planos do governo em fechar as usinas obsoletas.
A manutenção da tendência de crescimento econômico em regiões importantes, como a Rússia, Leste da Europa e
América do Sul, aliado a fatores extraordinários como os acidentes com fornos, verificados no período, contribuíram
para que os preços se elevassem acima do projetado no término de 2005.
A alta dos preços dos produtos siderúrgicos tem também sua explicação no aumento dos preços da sucata, do ferro
gusa, do zinco e outras ligas. Desta forma, os preços para o segundo trimestre se mostram em trajetória ascendente e a
expectativa é de que apresentem algum vigor no terceiro trimestre para, encontrar sua linha de estabilidade em
patamares elevados, seja pela demanda ou pelos custos de produção, que continuarão a exercer pressão.
Principais preços para laminados planos no 2T06 no mercado externo
Preços FOB ­ Base (sem extras)
US$/ton
Placa
400 ­ 450
Chapas Grossas
600
Bobina a Quente
500 ­ 520
Bobina a Frio
620 ­ 650
Galvanizados
800 ­ 850 (*)
(*) influenciado pelo custo do zinco, que saiu de um patamar de US$ 1.300/t para US$ 2.700/t
Cenário Interno
Apesar das turbulências que provocaram a troca de comando na condução da política econômica, o País mostra-se mais
maduro e menos suscetível às mudanças que poderiam gerar desconfiança do mercado e instabilidade na economia. No
contexto de um provável cenário de manutenção da estabilidade cambial, expressivos saldos na balança comercial,
entrada de novos investimentos estrangeiros, inflação sob controle e Risco-país declinante, a economia seguirá
apresentando resultados e perspectivas, se não brilhantes, pelo menos positivas.
background image
Release 1T06
4/26
Ademais, a redução nas taxas de juros, a grande disponibilidade de crédito, o aumento da renda e o esperado aumento
dos investimentos, são fatores que apontam para um desempenho positivo da economia em 2006. No mercado de
produtos siderúrgicos, o primeiro trimestre do ano apresentou uma expansão significativa nos principais setores,
crescendo 11,4% quando comparado ao 4T05, conforme pode ser verificado no quadro abaixo:
Evolução da demanda setorial
Setor Variação
%
Automotivo 15,1
Agricultura/Rodoviário 39,0
Industrial 26,2
Eletrônico 14,1
Linha Branca
12,6
Construção Civil/Perfis
3,3
Distribuição 13,2
Tubos Grande Diâmetro
85,9
Total 11,4

Esses números apontam o início de uma reversão de tendência de mercado, após queda contínua ao longo dos quatro
trimestres de 2005. Expurgados os riscos sempre presentes, tais como, turbulências na economia brasileira provocada
por eventuais disputas políticas e, no âmbito externo, os aumentos expressivos no preço do petróleo, com o
conseqüente aumento nas taxas de juros internacionais e menor desempenho da economia mundial, nossa expectativa
é de uma demanda em crescimento com a consolidação do mercado.

Análise Setorial - Destaques:
Setor Automotivo (automobilístico e autopeças): A ANFAVEA prevê aumento de 4,5% na produção de veículos em 2006.
Assim, esse setor deverá manter demanda crescente, em função do excelente desempenho das vendas no mercado
interno e do programa de exportação. No 1T06, as vendas cresceram 13,6% em comparação com igual período de 2005,
sendo que, a redução da taxa de juros e o alongamento dos prazos de financiamento estão contribuindo para este
desempenho das vendas.
Setor Construção Civil: Deverá apresentar os efeitos dos incentivos que já foram dados ao setor, além das atividades
que virão em decorrência do aumento dos investimentos em infra-estrutura.
Segmento Grande Rede: Destaque para a "distribuição" que atingiu o seu mais baixo volume de estoques dos últimos
três anos. As compras da rede em março já sinalizaram a recuperação, o que deverá ocorrer ao longo dos próximos
meses.

Matérias-Primas
No mercado de minério de ferro, a demanda continua muito forte e a importação por parte dos chineses mantém-se em
patamar elevado. O mercado transoceânico em 2006 deverá registrar uma alta de 10% nos volumes negociados, o que
representa cerca de 70 milhões de toneladas a mais do que no ano de 2005. Com a confiança renovada do setor de aço,
não será nenhuma surpresa se a demanda chinesa por minério de ferro apresentar novos recordes na importação. Dados
preliminares de março indicam importações de 29,5 milhões de toneladas, 2 milhões de toneladas acima do recorde
anterior em nov/05. Os fornecedores preparam outro acréscimo nos preços, estimulados pelos fundamentos de mercado
favoráveis. No entanto, as negociações de preço ainda não foram finalizadas, posto que os chineses continuam
relutando em fechar acordos para contratos de longo prazo. Essa negociação já se configura como a segunda mais longa
da história.
Em relação ao carvão, as negociações 2006/07 mostram-se mais positivas para o lado do comprador. A maior parte das
usinas siderúrgicas ao redor do mundo estão superestocadas, o que vem atrasando o processo de negociação. De um
modo geral, as indicações mostram reduções de preços entre 10 e 40%, dependendo do tipo de carvão. Ou seja,
diferentemente do ano passado, em que houve um tabelamento, em 2006 a relação preço versus qualidade voltará a
ser aplicada.
background image
Release 1T06
5/26
O abastecimento de ligas, metais e refratários no 1T06 ocorreu normalmente. O fato que mereceu maior destaque foi o
incremento dos preços médios de Alumínio e Zinco na Bolsa de Londres (6% e 17% respectivamente) no 1T06 sobre o
4T05. Tal fato ocorreu, principalmente em virtude da entrada da China no mercado internacional, devido ao
racionamento de energia elétrica que afetou o país (já que tanto a produção de Alumínio quanto a de Zinco são
eletrointensivas), além do componente especulativo de negociações em Bolsa.
Setor Siderurgia ­ Produção e Demanda
Mundial
Segundo dados preliminares do IISI ­ International Iron and Steel Institute - a produção siderúrgica mundial encerrou o
primeiro trimestre de 2006 com um volume total de 284,1 milhões de toneladas de aço bruto, 5% acima em relação ao
mesmo período de 2005.
A China continua a despontar como um dos maiores produtores de aço do mundo, respondendo por 32,4% da produção
total mundial.
Brasileira
Produção:
Segundo dados preliminares do IBS, no 1T06 foram produzidas 7,2 milhões de toneladas de aço bruto, uma queda de
9,5% em relação a 2005. A Usiminas respondeu por 29,2% do total. A produção de laminados (planos e longos) atingiu
5,4 milhões de toneladas, 4,1% abaixo da produção do 1T05.
Neste 1T06, a produção brasileira representou 68% da produção da América do Sul e cerca de 50% da produção da
América latina.
Demanda:
O mercado de aços planos encerrou o 1T06 com uma demanda 16% inferior em relação a igual período de 2005.
Todavia, vale lembrar que o mercado àquela época encontrava-se muito aquecido, tendo sido observado a partir de
então uma queda contínua da demanda, tendência que se estendeu por todo o ano de 2005.
Ressalta-se, porém, que comparativamente ao 4T05, a demanda por aços planos neste primeiro trimestre apresentou
um crescimento de 11,4%, podendo assim ser identificada uma retomada do mercado, com praticamente todos os
segmentos apresentando bom nível de recuperação. Como destaque, o desempenho do setor automotivo que tem
mantido neste início do ano o mesmo dinamismo dos últimos meses. Projeta-se que, a demanda de laminados planos
em 2006, deverá ser impactada positivamente pelo comportamento do consumo interno, diferentemente do que
ocorreu nos últimos 2 anos, quando as exportações tiveram papel relevante na formação da demanda interna. Espera-se
também, um comportamento positivo dos setores de utilidades domésticas, construção civil e distribuição.

Sistema Usiminas ­ Produção e Vendas
Mil toneladas
1T 2006
1T 2005
4T 2005
Var.
1T06/1T05
Var.
1T06/4T05
Usiminas
1.110
1.135
1.131
-2%
-2%
Cosipa
992
1.032
1.023
-4%
-3%
Total
2.102
2.167
2.154
-3%
-2%
Produção (Aço Bruto)
background image
Release 1T06
6/26
As unidades de produção em Ipatinga e Cubatão operaram de forma estável, cumprindo com os seus planos de
produção. No 1T06, a produção de aço bruto nas duas usinas totalizou 2,1 milhões de toneladas. A produção de
laminados no trimestre foi de 1,9 milhão de toneladas. As Usinas deram continuidade aos seus programas de redução de
custos de produção e de melhoria de produtividade e processos. Destaque à recertificação obtida pela unidade de
Cubatão do selo JIS (Japanese Industrial Standard), que permite a exportação de produtos para o Japão para utilização
na construção civil e que atesta a qualidade do aço fabricado, atendendo assim às rígidas exigências das normas
japonesas.
Em 31/03/06, as duas Empresas, totalizavam 13.654 trabalhadores.
No total geral das vendas neste 1T06, foram comercializadas 1,9 milhão de toneladas, 62% destinado ao mercado
interno e 38% à exportação. Este volume apresentou-se 11% acima da tonelagem vendida no 1T05 (em linha com o
volume do 4T05) e decorreu, exclusivamente, das vendas destinadas à exportação, que cresceram 95%, uma vez que as
vendas no mercado interno acompanharam a retração da demanda no período.
- Mercado Interno
No 1T06, as vendas atingiram 1,2 milhão de toneladas (62% do total comercializado), o que representa uma retração de
13% quando comparadas ao 1T05. O resultado acompanha a queda de demanda de cerca de 16% entre os dois períodos,
ressaltando-se, por oportuno, que a demanda no 1T05 foi recorde. A redução no volume se verificou em todas as linhas,
exceto em produtos HDG (Galvanizados por imersão a quente), o que refletiu o desempenho do setor automotivo que
vem se mantendo aquecido.
"Market Share": O Sistema Usiminas tem como compromisso estratégico estar voltado aos clientes do mercado interno.
No 1T06 a Usiminas manteve sua liderança nesse mercado, com uma participação de 51% ao final do trimestre (vide
quadro relacionado nos anexos).
- Mercado Externo
As exportações do Sistema Usiminas apresentaram um crescimento de 95% quando comparadas ao 1T05, aumento esse
verificado em todas as linhas de produto. Foram comercializadas 752 mil toneladas de produtos, representando 38% das
vendas totais, tendo como os cinco principais mercados os EUA, México, Canadá, Alemanha e Chile, responsáveis por
70% do volume exportado pelo Sistema Usiminas.
Vendas Consolidadas (mil t)
1T03 2T03 3T03 4T03 1T04 2T04 3T04 4T04 1T05 2T05 3T05 4T05 1T06
Mercado Interno
Mercado Externo
72%
75%
74%
65%
64%
73%
72%
71%
71%
25%
1.830
1.939
26%
1.822
35%
2.119
36%
28%
1.910
27%
1.971 2.011
29%
2.170
29%
78%
1.768
22%
70%
1.829
30%
69%
1.770
31%
54%
1.981
46%
62%
1.954
38%
background image
Release 1T06
7/26
Destino das Exportações 1T06







Mil toneladas
1T 2006
1T 2005
4T 2005
Var.
1T06/1T05
Usiminas
Mercado Interno
724
68%
846
88%
628
64%
-14%
Mercado Externo
339
32%
113
12%
347
36%
200%
Total
1.063
100%
959
100%
975
100%
11%
Cosipa
Mercado Interno
478
54%
537
66%
443
44%
-11%
Mercado Externo
413
46%
272
34%
563
56%
52%
Total
891
100%
809
100%
1.006
100%
10%
Sistema
Mercado Interno
1.202
62%
1.383
78%
1.071
54%
-13%
Mercado Externo
752
38%
385
22%
910
46%
95%
Total
1.954
100%
1.768
100%
1.981
100%
11%
Vendas
Usiminas
ME
32%
MI
68%
Distribuição das Vendas Físicas ­ 1T06
Sistema
ME
38%
MI
62%
Cosipa
ME
46%
MI
54%
Outros
14%
América
do Sul
13%
Europa
11%
América
do Norte
57%
Ásia
Oceania
5%
background image
Release 1T06
8/26
Exportações do Sistema Usiminas ­ 1T06:
País 1.000
toneladas
%
EUA
193,9 25,8
México 139,6
18,6
Canadá 95,2
12,7
Alemanha 55,1
7,3
Chile 47,5
6,3
Coréia do Sul
38,6
5,1
Espanha 30,1
4,0
Argentina 28,8
3,8
Colômbia 20,3
2,7
Outros 102,9
13,7
Total 752,0
100,0

Desempenho Econômico-Financeiro
Receita Líquida
No 1T06, a receita líquida totalizou R$ 3,0 bilhões, 15% inferior ao mesmo período de 2005. Mesmo diante de um
volume de vendas 11% superior àquele verificado no 1T05, a queda na receita decorreu da fraca demanda por
laminados planos no mercado doméstico, mix de produtos menos nobre, queda nos preços dos produtos no mercado
internacional, associados à valorização do Real e à conseqüente queda de receita das exportações. Todavia, quando
comparada ao 4T05, a receita manteve-se praticamente no mesmo patamar auferido naquele trimestre.
No 1T06, a receita líquida total por tonelada (mercados interno e externo), da Usiminas/Cosipa, atingiu R$ 1.379/ton.,
praticamente no mesmo nível de receita do 4T05.
CPV e Lucro Bruto
O custo dos produtos vendidos (CPV) no 1T06 somou R$ 2,1 bilhões, pressionado principalmente pelo aumento dos
custos de matérias-primas e da depreciação, quando analisados sobre o CPV do 1T05. Na análise em relação ao
trimestre anterior, o custo manteve-se no mesmo patamar (apenas 0,6% superior). O Custo dos Produtos Vendidos total
por tonelada (Usiminas e Cosipa) atingiu o montante de R$ 989,75/ton no 1T06.
O Lucro Bruto no 1T06 alcançou o valor de R$ 888 milhões e a margem bruta foi de 30%.
Lucro Operacional antes das Despesas Financeiras (EBIT) e EBITDA
A análise em relação ao 1T05 indica que houve maiores despesas de vendas, motivado pelo maior volume exportado. As
despesas gerais e administrativas mantiveram-se estáveis. Já em relação às outras despesas operacionais, observou-se
uma queda devido aos ajustes dos déficits atuariais dos planos de previdência complementar. Na análise em relação ao
4T05, as despesas com vendas sofreram acréscimo devido a maiores despesas portuárias. As despesas gerais e
administrativas recuaram e outras despesas operacionais apresentaram também um decréscimo devido a ajustes nos
passivos atuariais. O lucro operacional antes das despesas financeiras (EBIT) atingiu R$ 741,3 milhões e a margem EBIT
verificada no período foi de 25%. O EBITDA atingiu R$ 908,0 milhões, mantendo-se a margem de 31%, mesma do último
trimestre de 2005.
background image
Release 1T06
9/26
Resultado Financeiro e Endividamento
No 1T06, as despesas financeiras líquidas (incluindo as variações monetárias e cambiais) foram de R$ 118,3 milhões,
cerca de R$ 43 milhões inferior (26%) em relação às despesas apuradas no 1T05 e também inferior em 27% se
comparada ao 4T05. Esta redução foi decorrente, principalmente, dos ganhos cambiais sobre a dívida denominada em
dólar das controladas (notadamente a Cosipa) e a redução de 24% (8% em relação ao 4T05) das despesas com juros
sobre empréstimos e financiamentos em decorrência da amortização da dívida, compensando a elevação dos gastos em
operações de swap devido à valorização do real.
A dívida total consolidada passou de R$ 3,9 bilhões em 31/12/05 para R$ 3,3 bilhões em 31/03/06. Considerando-se o
caixa e aplicações, o endividamento líquido passou de R$ 2,0 bilhões para R$ 1,5 bilhão, o equivalente a US$ 0,7 bilhão
-- 31% em moeda local e 69% em moeda estrangeira. A relação dívida líquida/EBITDA, em 31/03/05 era de 0,4x caiu
para 0,3x, em 31/03/06. A amortização efetiva neste trimestre foi de US$ 165 milhões.
Lucro Líquido
A Usiminas apurou um lucro líquido consolidado no 1T06 de R$ 345 milhões com uma margem líquida de 12%. Os
resultados do trimestre não surpreendem a Administração e estão em consonância com o planejamento. Mais
importante, todavia, é observar que as perspectivas para o ano apontam para uma melhoria de margens a partir do 2º
trimestre do ano.
Investimentos
O volume de investimentos no imobilizado totalizou R$ 111 milhões, praticamente o mesmo volume investido em igual
período de 2005. Os recursos destinaram-se à manutenção, atualização tecnológica de equipamentos e proteção
ambiental das Usinas do Sistema Usiminas, atendendo o cronograma estabelecido pela Administração.
Dívida Líquida Consolidada /
EBITDA
1,
0
1,
0
1,
0
1,
3
1,
7
1,
9
2,
2
2,
3
2,
5
2,
6
2,
4
0,
9
0,
7
0,4
0,4
0,4
0,7
1,1
2,6
1,6
2,1
2,3
2,5
2,7
0,4
0,3
1T0
3
2T0
3
3T0
3
4T0
3
1T
04
2T
04
3T0
4
4T0
4
1T
05
2T
05
3T
05
4T0
5
1T0
6
DLC (US$ bi)
DLC/EBITDA
EBITDA e Margem EBITDA
25
8
25
5
22
5
26
3
31
8
42
2
53
8
65
2
64
6
65
5
53
9
40
4
41
4
42%
33%
31%
39%
46%
36%
49% 48% 50%47%
41%
31% 31%
1T
03
2T
03
3T
03
4T0
3
1T0
4
2T
04
3T
04
4T
04
1T
05
2T
05
3T
05
4T
05
1T
06
EBITDA (US$ milhões)
Margem EBITDA
background image
Release 1T06
10/26
Mercado de Capitais
· Desempenho na Bovespa ­ Índice Ibovespa
As ações da Usiminas tiveram uma expressiva valorização no período. As ações preferenciais classe "A" (USIM5) ­ de
maior liquidez - tiveram uma valorização de 44,3%, cerca de 16 pontos percentuais acima do desempenho das demais
empresas do setor siderúrgico cotadas na Bolsa e 31 pontos percentuais acima da valorização do IBOVESPA. As ações
nominativas (USIM3) apresentaram valorização ainda maior: 63,5%. Em 31/03/06 a ação preferencial PN - USIM 5 estava
cotada em R$ 80,25 e a ação nominativa ­ ON ­ USIM 3 em R$ 83,87. O volume financeiro no período (consideradas as
ações ON e PN) foi de R$ 4,9 bilhões. A Companhia continuou sendo recomendada como opção de investimento entre as
empresas do setor siderúrgico, conforme consenso do mercado acerca de seu desempenho prospectivo.

A Usiminas manteve a quarta colocação entre as empresas de maior peso no IBOVESPA, ocupando posição de destaque
com participação de 5,59% na carteira teórica do Ibovespa (na virada quadrimestral da Carteira Teórica do Ibovespa em
dezembro). Principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, o Ibovespa é utilizado por todo o mercado como base
para a tomada de decisões.
· Desempenho dos ADR's EUA
No 1T06, as ações da Usiminas transacionadas nos Estados Unidos, como ADR nível 1 - mercado de balcão (OTC ­ Over
the Counter) valorizaram-se em dólares em 57,4%. A ação "USNZY" estava cotada em US$ 37,00 em 31/03/06.
· Desempenho na Latibex - Madrid
Listadas na Latibex desde 05/07/05, as ações da Usiminas já alcançaram a terceira colocação entre as ações mais
negociadas e, no 1T06, valorizaram-se em euros 50,4%. A ação "XUSI" estava cotada em EUR 29,93 em 31/03/06.
· Composição Acionária
O Capital Social da Companhia é de R$ 5.400,0 milhões, dividido em 225.285.820 ações ­ 112.280.152 ações ordinárias e
112.589.841 ações preferenciais classe A e 415.827 ações preferenciais classe B (conversíveis em preferenciais classe A,
de maior liquidez). Do lucro líquido ajustado do exercício, parcela mínima é destinada à remuneração dos acionistas.
Os titulares de ações preferenciais recebem dividendos 10% maiores do que os atribuídos às ações ordinárias.
Ação, ADR
ou Índice de
Bolsa
Número de
Negócios
Qtde. de Ações
Negociadas 1000
ações
Volume
Negociado
$ mil
Valorização
%
Cotação de
Fechamento
31/03/06
USIM3 (ON)
1.528
125
191.633
67,2%
R$ 83,87
USIM5 (PNA)
82.185
56.471
4.641.083
47,7%
R$ 80,25
USNZY (ADR)
33
2.228
73.848
57,4%
US$ 37.00
XUSI (Latibex)
25
513
12.653
50,4%
29,93
IBOVESPA
5.058.523
28.947
146.429.179
13,4%
37.952
Quadro Resumo de Negociação das Ações da Usiminas - 1T06
USIM5 versus Ibovespa e Setor de Siderurgia
De (base 100) 31/12/2005 a 31/03/2006
113,4
144,3
128,8
70
80
90
100
110
120
130
140
dez-05
jan-06
fev-06
mar-06
IBOVESPA
USIM5
SID
background image
Release 1T06
11/26
Outras Empresas Participantes do Sistema Usiminas
(informações não-consolidadas)
Ternium
Em 28/04/06 a Ternium divulgou os resultados do 1T06, conforme destacado:
Sumário dos Resultados
1T06
4T05
Embarque de Produtos ­ t mil
2.247,9
2.146,3
Vendas Líquidas ­ US$ milhões
1.528,9
1.467,8
Lucro Bruto ­ US$ milhões
541,7
560,6
Lucro Operacional ­ US$ milhões
392,5
367,0
EBITDA ­ US$ milhões
500,5
489,7
Margem EBITDA
33%
33%
Lucro Líquido ­ US$ milhões
194,5
168,7

· O 4T05 foi o primeiro período que trouxe a total consolidação das operações, incluindo a performance da Hylsamex.
· A performance no 1T06 refletiu a contínua presença da Companhia nos mercados siderúrgicos nos quais concentra
seus negócios. As receitas aumentaram no trimestre comparativamente ao último trimestre de 2005 como resultado dos
níveis recordes de produção na subsidiária Mexicana Hylsamex, suportado por elevados embarques. O EBITDA de US$
500,5 milhões apresentou crescimento de 2% em relação ao 4T05 e a margem ficou estabilizada em 33%. O aumento do
custo das vendas foi compensado pela redução nas despesas gerais, administrativas e de vendas. Ao final do 1T06 o
lucro líquido apurado foi de US$ 194,5 milhões, 15,2% acima do lucro obtido no 4T05.
A Ternium é uma das maiores produtoras de aço das Américas, ofertando uma larga gama de produtos, entre aços
planos e longos. A empresa conta com unidades operacionais no México, (Hylsamex), na Argentina (Siderar) e Venezuela
(Sidor) e possui uma vasta rede de distribuição.
A Usiminas participa, em conjunto com o grupo Techint, com 14,25% do capital total da Ternium.
Unigal
Joint-Venture entre a Usiminas e a Nippon Steel, a empresa processa bobinas a frio, por meio da galvanização por
imersão a quente. No 1T06, foram processadas 110,2 mil toneladas, 5,5% acima do volume despachado no 1T05. A
receita líquida no 1T06 foi de R$ 40,2 milhões, um decréscimo de 23% em relação ao ano 1T05.
O EBITDA atingiu R$ 32,5 milhões, mas apurou-se um prejuízo líquido de R$ 4,8 milhões, decorrente principalmente do
alto custo do zinco (matéria-prima essencial utilizada no processo produtivo) e das despesas com "hedge". A Usiminas
detém 79,3% do capital da Unigal.
MRS Logística
A MRS Logística é uma concessionária que controla, opera e monitora a Malha Sudeste da Rede Ferroviária Federal. A
empresa atua no mercado de transporte ferroviário, interligando os Estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São
Paulo. Nessa região, concentra-se aproximadamente 65% do Produto Interno Bruto do Brasil. Nela, estão instalados os
maiores complexos industriais do País. Pela malha da MRS também é possível alcançar os portos de Sepetiba e de Santos
(o mais importante da América Latina).
O foco das atividades da MRS está no transporte ferroviário de cargas gerais, como minérios, produtos siderúrgicos
acabados, cimento, bauxita, produtos agrícolas, coque verde e contêineres e na logística integrada.
A Usiminas detém 20% do capital votante e participação no grupo de controle da Companhia.
background image
Release 1T06
12/26
Os resultados da MRS do 1T06 encontram-se resumidamente abaixo:
Sumário dos Resultados
1T06
4T05
Volume transportado ­ t milhões
25,0
27,8
Receita Bruta ­ R$ milhões
478,1
540,3
Receita Líquida ­ R$ milhões
411,5
464,8
Lucro Operacional (antes result. Financeiro) ­ R$ milhões
154,9
182,8
EBITDA ­ R$ milhões
185,6
211,2
Margem EBITDA
45%
45%
Lucro Líquido ­ R$ milhões
98,4
105,4

Usiminas Mecânica
Apesar das boas perspectivas para 2006, a Companhia apurou no período um prejuízo de R$ 9,6 milhões em decorrência
da pontual retração das atividades ocorridas entre o final de 2005 e início de 2006.
Empresa de Bens de Capital e Serviços, a "UMSA" detém em sua carteira diversos projetos de longo prazo. Destacam-
se: Equipamentos e montagem do Alto Forno da CSN, equipamentos e montagem da expansão da Alunorte e conclusão
das Estruturas de módulos de plataformas petrolíferas, reforma da ponte Bronx-Whitestone em Nova Iorque e
guindastes portuários.
A Usiminas detém 99,9% do capital da Usiminas Mecânica S/A.
Eventos Subseqüentes ao Fechamento do Trimestre
· AGO/AGE de 10/04/06
Em 10/04/06, foram realizadas as Assembléias Gerais Ordinária e Extraordinária da Usiminas, quando foram aprovados
os seguintes assuntos: Na AGO: aprovação do relatório da administração do exercício de 2005; destinação do lucro
líquido; fixação da verba anual global da remuneração dos administradores e eleição dos membros do Conselho de
Administração. Na AGE: aumento do capital social, sem acréscimo no número de ações; atualização do número de
ações preferenciais classe A e B; alteração do "caput" do art.5º do estatuto social para registrar as deliberações acima;
criação de mais um cargo de Diretor, para atender à reestruturação do setor comercial da Companhia, com a separação
das operações do mercado interno e de exportação e alteração do art. 23 do estatuto social para tornar permanente o
funcionamento do Conselho Fiscal.
· Reunião Extraordinária do Conselho de Administração de 11/04/06
Em 11/04/06, o Conselho de Administração da Usiminas reuniu-se em reunião extraordinária a fim de eleger os
diretores da Companhia, com mandato até abril de 2008, ficando assim definido:
Diretor-Presidente: Rinaldo Campos Soares
Diretor de Desenvolvimento: Gabriel Márcio Janot Pacheco
Diretor de Comercialização - Mercado Interno: Idalino Coelho Ferreira
Diretor de Comercialização ­ Mercado Externo: Renato Vallerini Júnior
Diretor Industrial: Omar Silva Júnior
Diretor de Finanças e Relações com Investidores: Paulo Penido Pinto Marques
Diretor de Relações Especiais: Hiroyuki Nakagawa
background image
Release 1T06
13/26
· Pagamento de Dividendos em 12/04/06
Aprovado pelo Conselho de Administração em sua reunião de 08/03 e referendado pela Assembléia Geral Ordinária dos
acionistas em 10/04, a Usiminas promoveu o pagamento de dividendos complementares em 12/04/06 no valor de R$
305,7 milhões. Com mais esse desembolso, o valor total distribuído aos acionistas a título de dividendos e juros sobre o
capital próprio relativo ao exercício de 2005 somou a quantia de R$ 1,1 bilhão, correspondendo a um "pay-out" de 30%.
Outros Destaques
· General Motors mundial e Fiat Brasil premiam a Usiminas entre os seus melhores fornecedores
A General Motors Corp. premiou a Usiminas com o seu prêmio "Fornecedor do Ano" em uma festa no seu Centro de
Engenharia Automotivo em Warren, Michigan.
A Usiminas foi uma das duas siderúrgicas no mundo a receber da GM o prêmio Global Supplier of the Year. A GM é líder
mundial na fabricação de veículos e é o terceiro maior cliente da Usiminas no setor. No Brasil, a Usiminas tem "market
share" de praticamente 60% do aço destinado ao mercado automotivo e vende, em média, 10 mil toneladas por mês
para GM, principalmente aços galvanizados.
A Usiminas comemora também o reconhecimento nacional da Fiat, que acaba de conceder à siderúrgica o "Prêmio
Qualitas - Rumo à Excelência". Como fornecedor no setor de aços laminados, a empresa líder do Sistema Usiminas foi
premiada em três categorias: "Qualidade", "Ecologia e Meio Ambiente" e "Responsabilidade Social".
A Usiminas recebeu ainda a medalha "Fidelidade 30 anos", por completar 30 anos de fornecimento à Fiat, desde o início
das operações da montadora no Brasil. Segundo maior cliente da Usiminas e primeiro no setor automotivo, a Fiat
compra, em média, 18 mil toneladas por mês de aços planos.
· Honda ­ Empresa Destaque
Em 29/03/06, por ocasião do 8º Encontro de Fornecedores da Honda, a Usiminas foi agraciada como "Empresa
Destaque", prêmio este entregue aos fornecedores que se destacaram em qualidade e atendimento no ano de 2005.
background image
Release 1T06
14/26
Outras Informações:
Superintendência de Relações com Investidores
Banco Custodiante das ações: Banco Bradesco S/A
Departamento de acionistas
Fone: 0 XX 11 ­ 3684.9495
ADR"s ­ Banco Depositário: Bank of New York
Visite a página de Relações com investidores: www.usiminas.com.br
Teleconferência: quarta-feira, 10 de maio
Local, às 10:00 horas (Brasília).
Telefones para conexão:
Brasil: (11) 4613-0501
Exterior: (55 11) 4613-4525
Internacional, às 12:00 horas (Brasília).
Telefones para conexão:
EUA: (1 800) 860-2442
Brasil: (11) 4613-0502
Demais países: (1 412) 858-4600
Senhas de acesso: 178 (local) / 939 (internacional)
O áudio da teleconferência será transmitido ao vivo pela internet, acompanhado
por uma apresentação de slides no website: www.usiminas.com.br




Declarações contidas nesse comunicado relativas às perspectivas dos negócios da Companhia, projeções de resultados operacionais e
financeiros e referências ao potencial de crescimento da Companhia constituem meras previsões e foram baseadas nas expectativas da
Administração em relação ao seu desempenho futuro. Essas expectativas são altamente dependentes do comportamento do mercado,
da situação econômica do Brasil, da indústria e dos mercados internacionais, portanto sujeitas a mudanças.
Gilson Rodrigues Bentes
gilson@cosipa.com.br
Tel: (11) 5070-8980 (Cosipa ­ SP)
Tel: (31) 3499-8617 (Usiminas ­ BH)
Matheus Perdigão Rosa
mprosa@usiminas.com.br
Tel: (31) 3499-8056
Luciana Valadares dos Santos
lsantos@usiminas.com.br
Tel: (31) 3499-8619
Bruno Seno Fusaro
brunofusaro@usiminas.com.br
Tel: (31) 3499-8710
background image
Release 1T06
15/26

R$ mil
1T 2006
1T 2005
4T 2005
Var.
1T06/1T05
Receita Líquida de Vendas
1.607.694
1.903.164
1.575.741
-16%
Mercado Interno
1.213.164 1.669.226 1.157.444
-27%
Mercado Externo
394.530 233.938 418.297
69%
Custo dos Produtos Vendidos
(1.071.346)
(887.560)
(992.282)
21%
Lucro Bruto
536.348
1.015.604
583.459
-47%
Margem bruta
33%
53%
37%
-20 p.p.
(Despesas) Receitas Operacionais
(93.143) (78.913) (24.477)
18%
Vendas
(37.026)
(22.126)
(23.658)
67%
Gerais e Administrativas
(32.323)
(27.463)
(37.638)
18%
Outras (Despesas) Receitas
(23.794)
(29.324)
36.819
-19%
Lucro Operacional antes das Desp.Fin.
443.205
936.691
558.982
-53%
Margem Operacional
28%
49%
35%
-21 p.p.
(Despesas) Receitas Financeiras
(58.354)
(29.708)
(35.059)
96%
Receitas Financeiras
(10.216)
56.545 86.747
-118%
Despesas Financeiras
(48.138)
(86.253)
(121.806)
-44%
Participação em Controladas
70.912 493.028 784.082
-86%
Lucro Operacional
455.763
1.400.011
1.308.005
-67%
Resultado Não Operacional
1.245
2.225
894
-44%
Lucro antes dos Tributos e das Participações
457.008
1.402.236
1.308.899
-67%
Imposto de Renda / Contribuição Social
(131.143)
(375.153)
7.710
-65%
Lucro Líquido
325.865
1.027.083
1.316.609
-68%
Margem Líquida
20%
54%
84%
-34 p.p.
Lucro Líquido por ação
1,48541
4,68180
6,00157
-68%
EBITDA
525.210
1.000.113
576.077
-47%
Margem EBITDA
32,7%
52,6%
36,6%
-19,9 p.p.
Demonstração do Resultado Trimestral - Controladora
Legislação Societária
background image
Release 1T06
16/26

R$ mil
1T 2006
1T 2005
4T 2005
Var.
1T06/1T05
Receita Líquida de Vendas
2.957.602 3.469.999 2.968.559
-15%
Mercado Interno
2.131.823
2.800.406
2.018.852
-24%
Mercado Externo
825.779
669.593
949.707
23%
Custo dos Produtos Vendidos
(2.069.201) (1.730.786) (2.056.276)
20%
Lucro Bruto
888.401 1.739.213 912.283
-49%
Margem bruta
30%
50%
31%
-20 p.p.
(Despesas) Receitas Operacionais
(147.146) (169.936) (169.545)
-13%
Vendas
(69.972) (55.469) (57.998)
26%
Gerais e Administrativas
(60.468) (59.285) (74.689)
2%
Outras (Despesas) Receitas
(16.706) (55.182) (36.858)
-70%
Lucro Operacional antes das Desp.Fin.
741.255 1.569.277 742.738
-53%
Margem Operacional
25%
45%
25%
-20 p.p.
(Despesas) Receitas Financeiras
(118.331) (160.778) (161.640)
-26%
Receitas Financeiras
(20.521)
77.279
75.624
-127%
Despesas Financeiras
(97.810) (238.057) (237.264)
-59%
Participação em Controladas
(58.561)
148.567
706.455
-139%
Lucro Operacional
564.363 1.557.066 1.287.553
-64%
Resultado Não Operacional
11.290 1.466 (40.677)
670%
Lucro antes dos Tributos e das Participações
575.653 1.558.532 1.246.876
-63%
Imposto de Renda / Contribuição Social
(226.027) (544.902)
86.373
-59%
Lucro antes das Participações
349.626 1.013.630 1.333.249
-66%
Participações Minoritários
(5.013)
(12.277)
(8.668)
-59%
Lucro Líquido
344.613 1.001.353 1.324.581
-66%
Margem Líquida
12%
29%
45%
-17 p.p.
Lucro Líquido por ação
1,57087
4,56452
6,03790
-66%
EBITDA
908.039 1.730.029 909.975
-48%
Margem EBITDA
30,7%
49,9%
30,7%
-19,2 p.p.
Demonstração do Resultado Trimestral - Consolidado
Legislação Societária
background image
Release 1T06
17/26

1T 2006
1T 2005
1T 2006
1T 2005
Atividades Operacionais
Lucro (Prejuízo) Líquido do Exercício
325.865
1.027.083
344.613 1.001.318
Encargos e Var. Monetária/Cambiais líquidas
(111.822)
73.478
(99.693)
193.404
Depreciação, Amortização e Exaustão
65.189
63.422
170.821 139.847
Baixa de Investimentos
153
9.227
137 9.443
Participações em Controladas/Coligadas
(70.913)
(493.028)
58.561 (149.238)
Recebimentos de Dividendos de Subsídiarias
0
0
5.013 9.242
Imposto de Renda e Contribuição Social
131.143
375.153
226.027 543.263
Provisões
3.741
5.582
(18.122)
23.701
Ajuste Participação Minoritários
0
0
0 0
Total
343.356 1.060.917 687.357
1.770.980
(Acréscimo)/Decréscimo de Ativos
Em Contas a Receber
(8.382)
61.024
64.807
235.104
Nos Estoques
120.136 (139.348)
115.081 (260.499)
em Impostos a Recuperar
(10.928)
(5.565)
(4.960)
(16.913)
Acréscimo/Decréscimo IR/CS Diferidos
18.968
114.090
28.189
161.943
em Depósitos Judiciais
1.782
(135)
(4.575)
(5.128)
Outros
27.526 19.216
256.352 78.625
Total
149.102 49.282 454.894
193.132
Acréscimo/(Decréscimo) de Passivos
Em Fornecedores
(2.232)
65.072 (53.778)
26.914
Valores a pagar a sociedades ligadas
1.440
46.475
(7.680)
68.767
Adiantamentos de clientes
3.467
(848)
44.196
32.224
Tributos a recolher
(6.106)
13.054
17.193
2.873
Imposto de Renda e Contribuição Social
(256.555)
(319.416)
(451.805)
(410.788)
Outros
(1.978)
(66.982)
104.511 4.188
Total
(261.964)
(262.645)
(347.363)
(275.822)
Fluxo de Caixa das Atividades Operacionais
230.494 847.554 794.888
1.688.290
Atividades Financeiras
Ingressos de Emprést. e Financiam. e Debêntures
711
0
40.846
113.279
Pagamentos de Emprést./Financiam. e Debêntures
(132.799)
(326.845)
(361.660)
(652.030)
Juros Pagos s/ Empr./Financ., Debêntures e trib parc.
(33.128)
(39.179)
(97.806)
(116.900)
Resgate de Operações de Swap
(105.003)
(15.830)
(152.484)
(78.145)
Dividendos / Juros sobre Capital Próprio Pagos
(6.850)
(6.943)
(6.850)
(37.206)
Fluxo de Caixa das Atividades Financeiras
(277.069)
(388.797)
(577.954)
(771.002)
Atividades de Investimentos
(Adições) Baixa de Investimentos
0
(287.791)
(262.029)
(365.925)
(Adições) p/ Imobilizado, excl. Encargos Capitalizados
(47.956)
(100.224)
(111.336)
(125.511)
(Adições) Baixa de ativo permanente
0
0
0
0
Fluxo de Caixa das Atividades de Investimentos
(47.956)
(388.015)
(373.365)
(491.436)
Variação Cambial sobre Disponibilidades
139.194 1.078
112.534
(2.613)
Variação no Saldo do Caixa
44.663 71.820
(43.897)
423.239
No Início do Período
1.081.919
1.398.139
1.930.654
1.910.586
No Final do Período
1.126.582
1.469.959
1.886.757
2.333.825
Fluxo de Caixa
Legislação Societária
R$ mil
Consolidado
Controladora
background image
Release 1T06
18/26
31-mar-06
31-dez-05
31-mar-06
31-dez-05
Circulante
3.641.743
3.719.421
6.379.672
6.640.126
Disponibilidades
1.126.582
1.081.919
1.886.757
1.930.654
Contas a Receber
883.846
875.464
1.617.879
1.682.139
Impostos a Recuperar
24.321
13.393
92.495
87.535
Estoques
1.145.341
1.265.477
2.416.780
2.531.861
Impostos Diferidos
165.444
184.412
209.591
243.617
Outros Títulos e Valores a Receber
296.209
298.756
156.170
164.320
Realizável a Longo Prazo
1.061.060
1.090.700
1.284.108
1.549.137
Impostos Diferidos
491.550
491.550
830.503
824.666
Créditos com Controladas
311.413
327.405
1.936
267.140
Depósitos Judiciais
172.836
174.618
308.518
303.943
Impostos a Recuperar
33.518
42.074
55.283
63.989
Outros
51.743
55.053
87.868
89.399
Permanente
8.514.286
8.460.759
10.152.874
10.005.995
Investimentos
5.098.947
5.028.034
1.564.350
1.356.091
Imobilizado
3.415.339
3.432.725
8.560.813
8.621.736
Diferido
-
-
27.711
28.168
Total do Ativo
13.217.089
13.270.880
17.816.654
18.195.258
Balanço Patrimonial - Ativo
Legislação Societária - R$ mil
Consolidado
Controladora
Ativo
background image
Release 1T06
19/26
31-mar-06
31-dez-05
31-mar-06
31-dez-05
Circulante
1.845.422
2.111.496
3.677.712
3.940.371
Empréstimos e Financiamentos e Tributos Parcelados
480.704
543.092
1.045.398
1.182.990
Fornecedores, empreiteiros e fretes
142.252
144.484
341.318
395.096
Impostos, Taxas e Contribuições
254.554
386.736
454.773
676.851
Dívidas com Controladas
68.056
66.616
50.528
58.208
Instrumentos Financeiros
201.022
271.587
758.161
675.817
Contas a pagar FEMCO
-
-
9.674
10.607
Dividendos a pagar
539.537
540.544
545.947
546.955
Outros
159.297
158.437
471.913
393.847
Exigível a Longo Prazo
2.237.840
2.351.422
4.952.857
5.418.178
Empréstimos e Financiamentos e Tributos Parcelados
585.325
724.773
2.044.241
2.436.823
Dívidas com Controladas
58.433
57.658
12.778
14.062
Contingências
593.798
579.083
1.071.595
1.058.218
Passivo Atuarial
901.946
899.990
984.267
980.086
Instrumentos Financeiros
13.044
-
269.620
336.736
Contas a pagar FEMCO
-
-
284.210
312.153
Outros
85.294
89.918
286.146
280.100
Participação dos Minoritários
-
-
88.902
84.139
Patrimônio Líquido
9.133.827
8.807.962
9.097.183
8.752.570
Capital Social
2.400.000
2.400.000
2.400.000
2.400.000
Reservas
6.407.962
2.494.671
6.352.570
2.434.141
Lucro do Exercício
325.865
3.913.291
344.613
3.918.429
Total do Passivo
13.217.089
13.270.880
17.816.654
18.195.258
Consolidado
Balanço Patrimonial - Passivo
Legislação Societária - R$ mil
Controladora
Passivo
background image
Release 1T06
20/26
R$ mil
1T 06
1T 05
4T 05
Var. 1T06/1T05
Receita Líquida de Vendas
1.113.086
1.357.653
1.206.587
-18%
Mercado Interno
734.744 972.306 720.053
-24%
Mercado Externo
378.342 385.347 486.534
-2%
Custo dos Produtos Vendidos
(862.620)
(715.693)
(956.463)
21%
Lucro Bruto
250.466
641.960
250.124
-61%
Margem bruta %
23%
47%
21%
-24 p.p.
(Despesas) Receitas Operacionais
(13.948) (57.157) (69.535)
-76%
Vendas
(16.052) (18.114) (16.773)
-11%
Gerais e Administrativas
(11.176) (14.192) (12.004)
-21%
Outras (Despesas) Receitas
13.280 (24.851) (40.758)
-153%
Lucro Operacional das Desp. Fin. (EBIT)
236.518
584.803
180.589
-60%
Margem Operacional %
21%
43%
15%
-22 p.p.
(Despesas) Receitas Financeiras
(34.216)
(124.630)
(130.099)
-73%
Lucro Operacional
202.302 460.173
50.490
-56%
Resultado Não Operacional
(465) (759) (40.111)
-39%
Lucro antes dos Tributos e das Participações
201.837
459.414
10.379
-56%
Imposto de Renda / Contribuição Social
(67.234)
(159.582)
6.377
-58%
Participação dos Minoritários
(989) (3.063) (839)
-68%
Lucro Líquido
133.614
296.769
15.917
-55%
EBITDA
307.054
669.626
302.830
-54%
Margem EBITDA %
27,6%
49,3%
25,1%
-21 p.p.
Depreciação
92.577
64.081
92.185
44%
Provisões
(22.041)
20.742
30.056
-206%
Companhia Siderúrgica Paulista - COSIPA
Demonstração do Resultado - CONSOLIDADO
Legislação Societária
background image
Release 1T06
21/26
Atividades Operacionais
Lucro do Exercício
133.614
296.769
Encargos e Var. Monetária / Cambiais líquidas
20.087
113.671
Depreciação, Amortização e Exaustão
93.043
64.546
Baixa de Investimentos
220
Recebimentos de Dividendos de Subsidiária
1
Imposto de Renda e Contribuição Social
67.234
159.582
Provisões
(22.136)
16.826
Ajuste Participação Minoritários
989
3.063
Outros ajustes no resultado
(1)
Total
292.832
654.676
(Acréscimo) / Decréscimo de Ativos
Em Contas a Receber
118.255
154.612
Nos Estoques
(9.627)
(75.268)
Em Impostos a Recuperar
(311)
(1.024)
Acréscimo / Decréscimo IR / CS Diferidos
2.786
33.734
Em Depósitos Judiciais
(7.128)
(4.365)
Outros
2.041 57.590
Total
106.016 165.279
Acréscimo/(Decréscimo) de Passivos
Em Fornecedores
(32.996)
(14.638)
Valores a pagar a Sociedades Ligadas
(570)
Tributos a Recolher
(139.093)
(105.256)
Contingências
(4.536)
Outros
13.038 17.985
Total
(164.157)
(101.909)
Fluxo de Caixa das Atividades Operacionais
234.691 718.046
Atividades Financeiras
Ingressos de Emprést. e Financ. e Debêntures
17.411
3.631
Pagamentos de Emprést./Financ. e Debêntures
(203.080)
(244.280)
Juros pagos s/ Empr. / Financ. , Debêntures
(56.005)
(69.738)
Resgate de Operações de Swap
(47.129)
(50.784)
Dividendos / Juros sobre Capital Próprio Pagos
(15.734)
Outros
(10.507)
(10.622)
Fluxo de Caixa das Atividades Financeiras
(299.310)
(387.527)
Atividades de Investimentos
(Adições) p/ Imobilizado, excl. Encargos Capital.
(54.842)
(21.515)
Fluxo de Caixa das Atividades de Investimentos
(54.842)
(21.515)
Variação Cambial sobre Disponibilidades
(10.706)
(4.555)
Variação do Saldo de Caixa
(130.167)
304.449
No Início do Período
587.566
333.387
No Final do Período
457.399
637.836
Legislação Societária
Fluxo de Caixa - CONSOLIDADO
Companhia Siderúrgica Paulista - COSIPA
R$ mil
1T 06
1T 05
Consolidado
background image
Release 1T06
22/26
Ativo
31-mar-06
31-dez-05
Circulante
2.098.800
2.349.188
Disponibilidades
457.399
587.566
Contas a Receber
468.494
586.749
Impostos a Recuperar
15.629
17.978
Estoques
1.049.806
1.040.179
Impostos Diferidos
38.890
51.986
Outros Títulos e Valores a Receber
68.582
64.730
Realizável a Longo Prazo
384.992
366.490
Impostos Diferidos
228.015
219.353
Depósitos Judiciais
104.729
96.929
Impostos a Recuperar
21.138
21.264
Outros
31.110
28.944
Permanente
4.586.177
4.626.838
Investimentos
132
131
Imobilizado
4.559.821
4.600.125
Diferido
26.224
26.582
Total do Ativo
7.069.969
7.342.516
Consolidado
Companhia Siderúrgica Paulista - COSIPA
Balanço Patrimonial Consolidado - ATIVO
Legislação Societária (R$ mil)
background image
Release 1T06
23/26

Passivo
31-mar-06
31-dez-05
Circulante
1.804.583
1.864.879
Empréstimos e Financiamentos e Tributos Parcelados
591.613
688.995
Fornecedores, empreiteiros e fretes
201.157
236.526
Tributos a Recolher
55.154
33.569
Imposto de Renda e Contribuição Social
94.298
202.338
Salários e Encargos Sociais
67.450
61.862
Instrumentos Financeiros
514.164
367.103
Passivo Atuarial
9.674
10.605
Dividendos a Pagar
205.467
205.467
Outros
65.606
58.414
Exigível a longo prazo
2.397.066
2.743.920
Empréstimos e Financiamentos e Tributos Parcelados
1.341.259
1.576.109
Contingências
404.213
402.445
Passivo Atuarial
311.818
337.536
Instrumentos Financeiros
127.652
225.478
Impostos Diferidos
158.162
147.431
Outros
53.962
54.921
Participação dos Minoritários
30.174
29.185
Patrimônio Líquido
2.838.146
2.704.532
Capital Social
1.763.814
1.763.814
Reservas
940.718
940.718
Lucro do Exercício
133.614
-
Total do Passivo
7.069.969
7.342.516
Companhia Siderúrgica Paulista - COSIPA
Balanço Patrimonial Consolidado - PASSIVO
Legislação Societária (R$ mil)
background image
Release 1T06
24/26


Mil toneladas
Var.
1T06/1T05
VENDAS FÍSICAS TOTAIS
1.954
100%
1.768
100%
1.981
100%
11%
Chapas Grossas
365
19%
376
21%
303
15%
-3%
Laminados a Quente
540
28%
511
29%
429
22%
6%
Laminados a Frio
521
27%
454
26%
597
30%
15%
Eletro-Galvanizados
61
3%
73
4%
51
3%
-16%
Galvanizados por Imersão a Quente
105
5%
73
4%
88
4%
44%
Produtos Processados
83
4%
63
4%
69
3%
32%
Placas
279
14%
218
12%
444
23%
28%
VENDAS FÍSICAS - MERC. INTERNO
1.202
62%
1.383
78%
1.071
54%
-13%
Chapas Grossas
211
11%
305
17%
190
10%
-31%
Laminados a Quente
434
23%
486
28%
341
17%
-11%
Laminados a Frio
349
18%
395
22%
353
18%
-12%
Eletro-Galvanizados
44
2%
51
3%
42
2%
-14%
Galvanizados por Imersão a Quente
77
4%
73
4%
75
4%
5%
Produtos Processados
43
2%
40
2%
43
2%
8%
Placas
44
2%
33
2%
27
1%
33%
VENDAS FÍSICAS - MERC. EXTERNO
752
38%
385
22%
910
46%
95%
Chapas Grossas
154
8%
71
5%
113
7%
117%
Laminados a Quente
106
5%
25
1%
88
4%
324%
Laminados a Frio
172
9%
59
3%
244
12%
192%
Eletro-Galvanizados
17
1%
22
1%
9
0%
-23%
Galvanizados por Imersão a Quente
28
1%
-
0%
13
1%
0%
Produtos Processados
40
2%
23
1%
26
1%
74%
Placas
235
12%
185
11%
417
21%
27%
1T 2006
1T 2005
4T 2005
Distribuição de Vendas por Produto - Consolidado
Total Geral
1.379
1.396
1.635
1.800
1.836
Chapas Grossas
1.645
1.807
2.009
2.031
2.034
Laminados a Quente
1.239
1.340
1.445
1.673
1.654
Laminados a Frio
1.485
1.512
1.610
1.834
1.922
Eletro-galvanizados
1.943
2.052
2.191
2.253
2.291
Galvanizados Imersão a quente
1.861
2.095
2.094
2.195
2.289
Produtos Processados
1.766
1.982
2.078
2.296
2.342
Placas
692
644
803
1.052
1.081
Receita Líquida por tonelada - USIMINAS + COSIPA
RS / ton.
3T 05
4T 05
1T 06
2T 05
1T 05
background image
Release 1T06
25/26





Milhares de toneladas
Var.
1T06/1T05
MERCADO INTERNO
1.202
100%
1.384
100%
1.071
100%
-13%
Automobilístico
153
13%
162
12%
143
13%
-5%
Auto-Peças
223
19%
208
15%
190
18%
7%
Construção Naval
4
0%
23
2%
11
1%
-82%
Tubos de Grande Diâmetro
71
6%
104
8%
39
4%
-32%
Tubos de Pequeno Diâmentro
92
8%
97
7%
95
9%
-6%
Embalagens
21
2%
28
2%
29
3%
-24%
Utilidades Domésticas
29
2%
25
2%
22
2%
15%
Construção Civil
108
9%
105
8%
65
6%
2%
Eletro-Eletrônicos
59
5%
64
5%
55
5%
-8%
Distribuidores
273
23%
334
23%
248
23%
-18%
Maquinário e Equipamentos Ind.
41
3%
39
3%
32
3%
4%
Outros
129
10%
195
13%
142
13%
-34%
1T 06
1T 05
4T 05
Distribuição de Vendas por Segmento - Consolidado
1T06 (*)
2005 (*)
2004 (*)
2003 (*)
MERCADO INTERNO
51%
53%
55%
60%
Automobilístico
57%
59%
55%
62%
Auto-Peças
63%
59%
62%
67%
Construção Naval
100%
100%
100%
100%
Eletro-Eletrônicos
64%
66%
63%
58%
Utilidades Domésticas
38%
33%
36%
44%
Tubos de Grande Diâmetro
96%
94%
98%
95%
Tubos de Pequeno Diâmetro
49%
54%
60%
68%
Embalagens
14%
14%
15%
16%
Construção Civil
41%
44%
48%
58%
Distribuidores
43%
44%
51%
59%
(*) Definida pelos mercados de USIMINAS, Cosipa, CSN, Acesita e CST.
Fonte: Sistema de Informações-IBS
Participação de Mercado - Sistema Usiminas
(% volume)
background image
Release 1T06
26/26







R$ milhões
1T 2006
1T 2005
4T 2005
Var.
1T06/1T05
Efeitos Monetários
(39.333)
(29.180)
(28.219)
35%
Variação Cambial
110.964
(21.841)
(59.568)
-608%
Receitas (Despesas) de Hedge
(167.402)
(63.281)
(25.786)
165%
Juros de Empréstimos, Financiamentos, ACC´s e Pré-Pagamento
(70.604)
(93.435)
(76.977)
-24%
Receitas Financeiras
78.972
82.906
76.542
-5%
Outras Despesas Financeiras
(30.928)
(35.947)
(47.632)
-14%
RESULTADO FINANCEIRO LÍQUIDO
(118.331)
(160.778)
(161.640)
-26%
Resultado Financeiro - Consolidado
31-dez-05
Curto Prazo
Longo Prazo
TOTAL
TOTAL
Moeda Estrangeira (*)
671.633
1.675.707
2.347.340
2.757.591 -15%
IGP-M
110.832 55.694 166.526
223.758 -26%
TJLP
215.471 140.187 355.658
404.768 -12%
Outros
18.746 29.289 48.035
57.685 -17%
Sub-Total
1.016.682 1.900.877 2.917.559 3.443.802
-15%
Tributos
Parcelados
28.716
143.364 172.080 176.011
-2%
Sub-Total
1.045.398 2.044.241 3.089.639
3.619.813 -15%
FEMCO
9.674
284.210 293.884 322.760
-9%
ENDIVIDAMENTO TOTAL
1.055.072
2.328.451
3.383.523
3.942.573
-14%
CAIXA e APLICAÇÕES
1.886.757 1.930.654
-2%
ENDIVIDAMENTO LÍQUIDO
1.496.766
2.011.919
-26%
(*) 99,2% do total de moedas estrangeiras é US dólar
Empréstimos e Financiamentos por Indexador - Consolidado
R$ milhões
Var.
mar06/dez05
31-mar-06